Evair perto do 100º gol em Brasileiro

A passagem de Evair para o seleto clube dos jogadores que marcaram 100 gols em jogos do Campeonato Brasileiro está próxima. Pode até não ser neste sábado, contra o Santos, mas deverá ser concretizada bem antes do final do campeonato. Faltam 44 jogos para o Figueirense e apenas um gol para Evair. Aos 38 anos, será um belo fecho de carreira para quem já marcou pelo Guarani (33 gols em 50 jogos), Palmeiras (28 gols em 69 jogos), Vasco (8 gols em 28 jogos), Portuguesa (7 em 27), Coritiba (6 em 16), Goiás (16 em 37) e Figueirense (por enquanto, um gol na estréia, contra o Corinthians). São 99 gols em 227 jogos. A espera pelo gol que falta não é companheira da ansiedade. ?Estou tranqüilo. Contra o Corinthians, houve um pênalti e quem bateu foi o Danilo, que havia treinado mais e melhor do que eu. Não tem pressa?, diz Evair. Ele lembra que jogou três anos na Itália (88/90) e dois no Japão (95/96). ?Se estivesse no Brasil, já teria alcançado os 100 gols há bastante tempo.? É com orgulho que Evair pergunta quem são seus futuros companheiros no clube dos 100 gols. Dinamite, Zico, Túlio, Dario, Serginho e Romário. ?Zico é o melhor de todos. O mais técnico. É o que eu mais admiro.? Identidade com alguém? ?Roberto Dinamite, sem dúvida. Era forte, com pouca velocidade e boa colocação na área. Pena que eu não bata falta tão bem como ele fazia.? E uma meta: ?O campeonato é longo e se o time mantiver o bom futebol da estréia acho até que dá para passar o Romário, que tem 111 gols marcados.? Além de gols, Evair tem planos para o time. ?Sinceramente, acho que não há possibilidades de a gente ficar pendurando no rebaixamento. Mostramos contra o Corinthians que vamos ter um bom rendimento em casa. Não vai ser fácil ganhar da gente. Com isso, vamos acumular muitos pontos. É lógico que não jogamos tão bem contra o São Paulo, mas nossa meta é manter o nível do primeiro jogo.? Neste sábado, ele terá outro indicador das chances do Figueirense. ?Em casa, jogamos de forma aberta. Estou curioso para saber como a gente vai se comportar fora de casa, fechadinhos e saindo no contra-ataque. Contra o Santos será nosso primeiro teste. Só então poderemos analisar até onde podemos chegar.? Evair diz que jogará futebol até quando estiver correspondendo ao que o time espera dele. A idade não o atrapalha. ?Sempre me cuidei muito bem, sempre fui profissional e agora estou colhendo os frutos do que plantei. Além do mais, a comissão técnica do Figueirense me dá um trabalho diferenciado. Não sou exigido como um garoto de 18 anos. Perceberam isso e está dando certo.? Depois de tantos anos no futebol ? disputou seu primeiro Brasileiro pelo Guarani, em 1986 ?, Evair chegou a uma conclusão: é palmeirense. ?Tive sempre o amor da torcida e tenho de retribuir. Quando estava no São Paulo (em 2000), a torcida me criticava porque me achava identificado com o Palmeiras. Não fui aceito. Em outras ocasiões, também. Então, já que todo mundo me identifica como palmeirense, resolvi assumir: tenho simpatia pelo Palmeiras. É o time para o qual eu torço.? E os palmeirenses têm outro motivo para se orgulhar de seu torcedor. ?Não consigo me lembrar qual foi o meu gol mais bonito, mas não tenho nenhuma dúvida de qual foi o mais importante. Foi o gol que tirou o Palmeiras da fila, em 93, contra o Corinthians.? Depois da confissão de amor, a torcida pelo centésimo gol de Evair, neste sábado na Vila, vai aumentar muito. No Parque Antártica e em Florianópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.