OLI SCARFF / AFP
OLI SCARFF / AFP

Everton suspende com três parceiros russos de imediato após invasão à Ucrânia

Seguindo os passos de Manchester United e Schalke 04, time inglês corta relação com as empresas USM, Megafon e Yota

Redação, Estadão Conteúdo

02 de março de 2022 | 12h18

O inglês Everton é mais um clube do futebol a cortar relações com empresas da Rússia após a invasão do país à Ucrânia. Seguiu os passos do Manchester United e do Schalke 04. Nesta terça-feira, o clube de Liverpool anunciou a suspensão imediata de patrocínio com as empresas USM, Megafon e Yota.

A Megafon, empresa de telefonia russa, estava no clube desde 2017, quando assinou contrato de Naming Rights do Centro de Treinamento por cinco temporadas e se tornou a patrocinadora principal da camisa. Em 2019 houve uma renovação do acordo, com as cifras aumentando consideravelmente, e a marca chegando às placas de publicidade do estádio e também no time feminino. Parte do grupo, a Yota figurava na manga das camisas. A USM é a empresa holding majoritária do grupo Megafon.

"O clube confirma que suspendeu com efeito imediato todos os acordos de patrocínio comercial com as empresas russas USM, Megafon e Yota", anunciou, em nota, o Everton, sem esconder sua tristeza com a invasão à Ucrânia.

Todos no Everton continuam chocados e entristecidos pelos terríveis acontecimentos que se desenrolam na Ucrânia. A diretoria e comissão técnica lamentaram a guerra e mostraram solidariedade a Mykolenko, ucraniano do elenco.

"Esta situação trágica deve terminar o mais rápido possível, e qualquer perda de vidas deve ser evitada", seguiu. "Os jogadores, a comissão técnica e todos que trabalham no Everton estão dando total apoio ao nosso jogador Vitalii Mykolenko e sua família."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.