Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Evolução da defesa deixa Palmeiras perto de repetir marca de 2008

Clube fica a uma partida de chegar seis compromissos seguidos sem levar gol, feito alcançado pela última vez em 2008

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

14 Agosto 2018 | 05h00

O começo de trabalho de Luiz Felipe Scolari no Palmeiras pode ter na quinta-feira dois feitos expressivos. O time joga por uma vitória simples para bater o Bahia e se classificar na Copa do Brasil, na primeira decisão do treinador no cargo. Além disso, tem a chance de repetir feito que não é alcançado há dez anos. A equipe chegará à marca de seis partidas seguidas sem sofrer gol caso não seja vazada no confronto do Pacaembu.

Entre setembro e outubro de 2008, o Palmeiras encaixou a sequência mais recente de seis jogos sem levar gol. O time, então dirigido por Vanderlei Luxemburgo, passou por compromissos do Campeonato Brasileiro e da também da Sul-Americana com a defesa invicta diante de Cruzeiro, Vasco da Gama (duas vezes), Sport Ancash, do Peru, (duas vezes) e Náutico.

A regularidade do setor defensivo palmeirense se tornou uma característica marcante dos primeiros jogos de Felipão no cargo. O último gol sofrido pelo time foi na derrota por 1 a 0 para o Fluminense, no Rio, partida que resultou na demissão do técnico Roger Machado e a troca de comando. Desde então, são cinco jogos seguidos sem sofrer gol, dos quais três como visitante.

Nas últimas partidas a equipe mostrou solidez na defesa com um novo esquema de atuação, a presença de dois volantes ajudando na marcação. Nos treinos na Academia de Futebol quem auxilia na preparação do setor é Paulo Turra, ex-zagueiro e membro da comissão técnica trazida por Felipão.

No começo deste ano, em março, o Palmeiras também conseguiu ficar cinco compromissos consecutivos sem tomar gol. No entanto, a série era válida pelo Campeonato Paulista e contemplou adversários mais fáceis e frágeis, como duas partidas contra o Novorizontino e uma diante do Ituano.

Para o jogo com o Bahia o clube já vendeu 15 mil ingressos. A partida será no Pacaembu, pois o Allianz Parque recebe show do grupo Tribalistas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.