Ex-árbitro Collina defende uso de recursos eletrônicos

O italiano Pierluigi Collina, um dos árbitros mais respeitados da história do futebol, afirmou nesta terça-feira que defende o uso de recursos eletrônicos para auxiliar o trabalho dos juízes durante as partidas. A questão é uma das maiores polêmicas atuais no esporte.

AE-AP, Agencia Estado

29 de dezembro de 2009 | 09h41

"As coisas não podem continuar como estão. Os juízes já entram em campo sabendo que os jogos serão dissecados à procura de seus erros", disse Collina ao diário La Gazzetta dello Sport. O ex-árbitro apitou a final da Copa do Mundo de 2002 e atualmente comanda as escalas de arbitragem dos campeonatos na Itália.

"Farei uma provocação: chegamos ao ponto em que temos de usar a tecnologia, porque atualmente o árbitro é o único que tem apenas seus olhos para decidir. Todas as outras pessoas usam tecnologias cada vez mais perfeitas", afirmou Collina.

A discussão sobre o uso da eletrônica para auxiliar os árbitros ganhou força após o jogo entre Irlanda e França, na repescagem das Eliminatórias da Europa para a Copa do Mundo de 2010. O francês Thierry Henry ajeitou uma bola com a mão antes de tocar para William Gallas empatar a partida em 1 a 1. O gol classificou a França e tirou a Irlanda do Mundial.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPierluigi Collinaarbitragem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.