Pedro Pardo/AFP
Pedro Pardo/AFP

Ex-Argentina e Barça, Gerardo Martino é anunciado como técnico do México

'É uma das seleções que mais evoluiu nos últimos tempos', afirma o treinador em sua apresentação

Redação, Estadão Conteúdo

07 de janeiro de 2019 | 17h28

A Federação Mexicana de Futebol encerrou o mistério e confirmou nesta segunda-feira a contratação do técnico Gerardo Martino para o comando da seleção nacional. O argentino chega para substituir o ex-são-paulino Juan Carlos Osorio, que levou o México às oitavas de final da Copa do Mundo do ano passado, caindo diante do Brasil.

O nome de Martino já era dado como praticamente certo pela imprensa mexicana, mas somente nesta segunda foi confirmado. A negociação estava encaminhada, mas a federação esperava o fim da disputa da Major League Soccer (MLS, principal campeonato norte-americano de futebol), em que o treinador foi campeão com o Atlanta United, em dezembro.

Imediatamente após o anúncio, Martino foi apresentado oficialmente e comentou a expectativa diante deste novo desafio. "Meu compromisso é trabalhar com todo o esforço para fazer uma seleção do México melhor. É uma das seleções que mais evoluiu nos últimos tempos e sempre vai à segunda fase da Copa do Mundo. Isso marca um pouco o processo", considerou.

Martino tem no currículo passagens por Cerro Porteño, Newell's Old Boys e seleção paraguaia, mas ganhou destaque por ter comandado o Barcelona de Lionel Messi, onde decepcionou na temporada 2013/2014, e a seleção argentina, conseguindo dois vices continentais entre 2014 e 2016.

Ele será o terceiro argentino a treinar o México, repetindo o que fizeram César Luis Menotti, entre 1991 e 1992, e Ricardo La Volpe, de 2002 a 2006. Como seus antecessores, Martino terá a missão de levar a seleção além das oitavas de final de uma Copa, o que só aconteceu em 1970 e 1986, quando o país sediou o torneio e parou nas quartas de final.

"Sei qual é a inquietude de vocês e do povo a respeito de onde deveriam chegar, mas não quero deixar de mencionar, porque passei por outros lugares, e de valorizar o fato de jogar sistematicamente as oitavas de final. Às vezes, os resultados se dão por obra da casualidade, mas o que queremos é uma equipe com uma ideia de jogo que esteja a vista de todos. E se conseguirmos isso, o objetivo estará mais próximo", considerou.

O México esperava o fim do compromisso de Martino com o Atlanta United para finalmente contratá-lo. Enquanto isso, foi comandado interinamente pelo brasileiro Ricardo Ferretti em seis amistosos, tendo perdido cinco deles e vencido apenas um.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.