Darko Bandic / AP Photo
Darko Bandic / AP Photo

Ex-Arsenal, Nasri é suspenso por seis meses por violar regulamento antidoping

Foto postada por clínica que realizou tratamento intravenoso iniciou o processo contra o jogador

Estadão Conteúdo

27 de fevereiro de 2018 | 12h57

A Uefa anunciou nesta terça-feira a punição com seis meses de suspensão ao meia Samir Nasri, do Antalyaspor, da Turquia. A entidade explicou que a pena é referente a uma violação do regulamento antidoping cometida pelo ex-jogador do Arsenal ainda em 2016.

+ Fase de grupos da Libertadores começa nesta terça com jogos de Grêmio e Cruzeiro

+ Lesão de Neymar é um dos principais assuntos do prêmio Laureus

Sem especificar o delito cometido por Nasri, a Uefa revelou que o jogador utilizou um "método proibido" para violar o Código Mundial Antidoping e o regulamento antidoping da própria entidade. O inquérito disciplinar foi aberto em março do ano passado e a decisão anunciada nesta terça.

Por mais que a Uefa não confirme, o delito teria sido um tratamento intravenoso realizado nos Estados Unidos para se manter hidratado, em dezembro de 2016. O regulamento antidoping proíbe qualquer "infusão intravenosa ou injeção de mais de 50 mililitros a cada seis horas, exceto aquelas legitimamente recebidas em curso de admissões hospitalares, procedimentos cirúrgicos ou exames clínicos".

Curiosamente, Nasri foi "denunciado" pela própria clínica em que fez o tratamento. Na ocasião, a Drip Doctors, em Los Angeles, postou uma foto do jogador nas redes sociais, revelando que realizou no jogador um tratamento "para mantê-lo hidratado e no auge de sua saúde durante a atribulada temporada".

Na ocasião, Nasri atuava com a camisa do Sevilla, emprestado pelo Manchester City. Além destes dois clubes, o francês de 30 anos atuou pelo Olympique de Marselha, o Arsenal e o Antalyaspor, onde está desde o ano passado. O meia também acumula diversas passagens pela seleção de seu país, pela qual disputou a Eurocopa em 2008 e 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
futeboldoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.