Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Ex-Atlético-MG, Cárdenas se afasta da LDU para cuidar de filha com leucemia

Meia colombiano está no clube equatoriano deste o ano passado, quando deixou o Vitória-BA

Estadão Conteúdo

14 Janeiro 2018 | 10h38

O meia colombiano Sherman Cárdenas está vivendo um drama familiar. Nesta semana, a LDU de Quito, clube que defende desde o meio do ano passado, anunciou que a filha do jogador, de apenas seis anos, foi diagnosticada com leucemia. Agora, o time equatoriano liberou o atleta dos treinos indefinidamente para que ele possa cuidar da criança.

+ Oswaldo de Oliveira se recupera de virose e comanda coletivo no Atlético-MG

"Não é um momento fácil para ele. À distância, como instituição, podemos ser solidários e apoiá-lo no que necessitar. Queremos que Sherman e sua família possam sair desta situação", explicou o gerente esportivo Santiago Jacomé ao jornal El Telégrafo.

A notícia da leucemia foi divulgada pela LDU na última sexta-feira, diante da ausência de Cárdenas nos treinos da equipe. O jogador deveria ter se apresentado ao lado de seus colegas para iniciar os trabalhos de pré-temporada, mas foi liberado e segue na Colômbia. Há até a possibilidade de que ele rescinda seu contrato com o clube equatoriano, que termina em junho deste ano.

"A prioridade, evidentemente, é sua família. Nós, que somos pais, diante de uma questão assim, queremos nos colocar no lugar de nossos filhos. O mínimo que podemos fazer é lhe dar tempo. Mais para frente, trataremos deste tema (o contrato)", comentou Jacomé.

Formado no Atlético Bucaramanga e com passagens por Millonarios, La Equidad e Junior Barranquilla, Cárdenas se destacou pelo Atlético Nacional em 2013. Tanto que chamou a atenção do Atlético-MG, que o contratou em 2015. Mas o colombiano decepcionou no time alvinegro e foi liberado para o Vitória, onde atuou entre 2016 e 2017 até chegar à LDU em junho do ano passado.

Mais conteúdo sobre:
futebol Ldu Leucemia Atlético Mineiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.