Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

Ex-Atlético-MG, Fabbro tem prisão decretada por abuso sexual de menor

Aos 35 anos, o atleta joga atualmente no Lobos, de Puebla, no México

Estadão Conteúdo

04 de dezembro de 2017 | 17h18

Ex-jogador do Atlético-MG, o meia-atacante Jonathan Fabbro teve prisão decretada nesta segunda-feira, em Buenos Aires, pela Justiça do país. O argentino naturalizado paraguaio foi considerado culpado de abusar sexualmente de uma criança de 11 anos, sua afilhada.

+ Robinho é condenado a 9 anos de prisão por violência sexual

O mandato de prisão foi decretado pelo juiz Santiago Quian Zavalía, a partir de uma denúncia realizada pela família da criança, que teve a identidade mantida em segredo. "Fabbro é um cidadão procurado em 192 países após a notificação de captura com fins de extradição ao território argentino", explicou o chefe da Interpol no Paraguai, Luis Arias, à rádio La Unión.

Advogado da menor, Gastón Marano explicou que Fabbro foi acusado de "abuso sexual com acesso carnal agravado pelo vínculo". Ele comentou que o juiz tomou como prova "o relato da própria vítima, de seus familiares mais próximos, a troca de mensagens pelo WhatsApp entre a menor e o jogador e as perícias psicológicas à menina que apontam a certeza da imputação".

Aos 35 anos, Fabbro é atualmente jogador do Lobos, de Puebla, no México. Como está fora da Argentina, o juiz Zavalía solicitou à Interpol a captura internacional do jogador.

Apesar de nascido em Buenos Aires e naturalizado paraguaio, Fabbro começou a carreira no Mallorca, da Espanha. Acumulou passagens por Boca Juniors, River Plate, Cerro Porteño, Once Caldas, entre outros, até atuações bastante apagadas pelo Atlético-MG em 2006. O jogador ganhou fama por ser o namorado da modelo paraguaia Larissa Riquelme desde 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.