Jose Patricio/Estadão
Jose Patricio/Estadão

Ex-bandeirinha lança livro infantil sobre regras do futebol

Fernanda Colombo escreveu “Vamos jogar futebol”, que chega às livrarias de São Paulo no dia 7 de junho

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

05 Junho 2018 | 07h00

Quando atuou como árbitra assistente, de 2010 a 2016, Fernanda Colombo notava que as crianças xingavam os árbitros, reproduzindo o comportamento dos pais. Ela ficou matutando como poderia mudar esse comportamento, transmitindo informações sobre as regras do esporte para as crianças. Esse foi o ponto da partida do livro “Vamos jogar futebol”, da Ciranda Cultural, que chega às livrarias de São Paulo no dia 7 de junho.

+ Futebol sai da arquibancada e ganha leitores nas livrarias

“A cultura do futebol tem muitos vícios, como o uso constante de palavrão e o xingamento ao árbitro, independentemente se ele erra ou acerta. E as crianças absorvem tudo, as coisas boas as ruins”, explica a autora. “O principal objetivo do livro é introduzir o pequeno leitor no mundo do futebol e fazer com que ele entenda os limites e as regras”, completa.

A apresentação do campo, o material da bola, os equipamentos utilizados na partida, a função do árbitro, o que é uma falta e um impedimento são alguns dos assuntos abordados. O prefácio é do ex-árbitro e comentarista Arnaldo Cezar Coelho. Além de ensinar as regras e fundamentos do esporte de maneira lúdica, a obra explora o potencial educativo da prática, discutindo conceitos como liderança, trabalho em equipe, coletividade, entre outros. “O futebol é o esporte mais popular do Brasil e muito praticado nas escolas. Esse livro não é só para crianças, mas para qualquer pessoa que está tendo um primeiro contato com as regras de futebol”, explica Colombo, que também é comentarista do programa Show do Esporte com o Milton Neves, da TV Bandeirantes.

SERVIÇO:

Vamos jogar futebol

Editora: Ciranda Cultural

Autora: Fernanda Colombo

Páginas: 32

Preço: R$ 29,90

Mais conteúdo sobre:
Fernanda Colombo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.