Ex-conselheiro critica estatuto do Fla

Durante depoimento na CPI do Futebol, o ex-conselheiro do Flamengo Paulo César Ferreira considerou "pouco transparente" o artigo do estatuto do clube carioca que garante à administração contratar jogadores sem avisar os dirigentes. "O clube só deveria fazer isso (contratar jogadores) se houver folga no caixa, devendo informar aos dirigentes no dia seguinte", ponderou Ferreira.Outro problema apontado pelo ex-conselheiro Paulo César Ferreira é a aprovação, pelo Conselho Fiscal do Flamengo, do orçamento e do balanço do clube. Mesmo o orçamento anual sendo aprovado pelo Conselheiro Deliberativo, "ninguém acompanha sua execução", protestou Ferreira. "Não há órgão interno de controle do orçamento e o conselho fiscal só é avisado de qualquer excesso um ano depois".O ex-conselheiro também protestou contra o Conselho Fiscal do Flamengo, que aprovou o balanço patrimonial e os demonstrativos financeiros recomendando "a sua aprovação", mas avisando da necessidade de serem feitos os ajustes no relatório. "Ora, ou se aprova ou não se aprova. Se o Conselho Fiscal negasse a aprovação do balanço, como eu acho que deveria rejeitar, o presidente do clube sofreria um impeachment", avaliou Paulo César Ferreira.As denúncias do ex-conselheiro flamenguista levaram o relator da CPI, senador Geraldo Althoff (PFL-SC), a solicitar ao Flamengo informações sobre o pagamento a terceiros no ano de 2000. Segundo Althoff, já foi encaminhado o mesmo tipo de pedido a 14 clubes de futebol, incluindo o próprio Flamengo. São requerimentos de cópias dos demonstrativos financeiros e contábeis de 95 a 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.