Divulgação/Nacional-URU
Divulgação/Nacional-URU

Ex-Corinthians e Vasco, Célio Taveira morre vítima do novo coronavírus

Ex-atacante tinha 79 anos e chegou a ser cotado para disputar a Copa do Mundo de 66

Redação, Estadão Conteúdo

29 de maio de 2020 | 11h56

O novo coronavírus segue fazendo inúmeras vítimas pelo Brasil e pelo mundo. Na madrugada desta sexta-feira, Célio Taveira, ex-Corinthians e Vasco, acabou falecendo vítima da doença. Ele estava internado em um hospital de João Pessoa desde o último sábado, mas não resistiu ao tratamento. 

Por causa da pandemia do novo coronavírus, o velório e o sepultamento do ex-jogador, de 79 anos, será restrito à família e amigos mais íntimos, na própria capital da Paraíba.

Célio Taveira Filho iniciou a sua carreira no Santos. Dispensado, acabou sendo revelado pela Portuguesa Santista e passou por Ponte Preta e Jabaquara até chegar no Vasco, onde atuou entre os anos de 1963 e 1966. Ele anotou 100 gols em sua passagem pelo clube do Rio de Janeiro e conquistou o título do Torneio Rio-São Paulo de 1966.

Teve também grande sucesso no Nacional, do Uruguai, onde é tratado como ídolo até os dias de hoje. Antes, porém, chegou a ter o passe comprado pelo Milan, mas o Vasco emperrou a negociação, que acabou não avançando.

Foi ainda para o Corinthians, onde não teve o mesmo sucesso do passado e encerrou a carreira no Operário, de Campo Grande (MS). Ele vinha exercendo o cargo de comentarista esportivo da rádio CBN, além de ter uma empresa de frutas.

Célio também teve uma passagem pela seleção brasileira, sendo convocado pelo técnico Vicente Feola, mas acabou sendo cortando antes da Copa do Mundo de 1966, realizada na Inglaterra. É o terceiro maior artilheiro brasileiro da Copa Libertadores com 22 gols - atrás de Luizão, com 29, e Palhinha, 25.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.