Cesar Greco/Divulgação
Cesar Greco/Divulgação

Ex-craque do futsal e antigo vendedor no Mineirão ganham espaço no Palmeiras

Destaques da base, Papagaio e Fernando recebem chance contra o Ituano e sonham com mais oportunidades

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 Março 2018 | 07h00

O Palmeiras terminou a primeira fase do Campeonato Paulista com dois novatos da base em alta. Os atacantes Papagaio e Fernando comemoraram a conquista de espaço no elenco nos últimos jogos com a satisfação de quem mesmo jovem, já superou um passado complicado. A dupla nascida em 1999 encarou situações inusitadas antes dessa oportunidade no time, como fazer carreira no futsal e vender lanches do lado de fora do Mineirão.

+ Weverton comemora estreia no Palmeiras

+ Clube define contratações na base

A vitória por 3 a 0 sobre o Ituano, no último domingo, ficou marcada na carreira de ambos. Papagaio foi titular do time pela primeira vez na carreira e ao dar lugar para Fernando, no segundo tempo, deu chance para o colegar marcar o primeiro gol como profissional. Os dois foram apostas do técnico Roger Machado para a partida final da primeira fase, no Novelli Junior.

Apelidado de Papagaio por ser muito falante, Rafael Elias da Silva é chamado assim desde os tempos de Portuguesa, onde começou no futsal. O atacante se destacava na modalidade até se transferir ao Palmeiras, em 2015, também para jogar nas quadras. O clube promove aos garotos a integração do ginásio com o campo e por muito tempo ele se manteve no dois diferentes elencos.

A jornada dupla não lhe impediu de ser convocado para a seleção sub-17 de futsal enquanto treinava na base do Palmeiras. Porém, há pouco mais de um ano, Papagaio resolveu tomar a decisão. O campo foi a escolha do garoto. Na base do Palmeiras, foi ganhar espaço de vez durante a Copa São Paulo deste ano, quando começou como reserva, mas fez dois gols e acabou promovido ao time principal.

Para Fernando marcar o primeiro gol, precisou sair mais de longe. Natural de Belo Horizonte, o atacante começou a treinar na Associação Mineira de Desenvolvimento Humano (AMDH), projeto social voltado a descobrir talentos. O garoto conciliava as atividades esportivas com o trabalho de vender lanches junto com o pai na porta do Mineirão, estádio onde o jogador sonha em atuar.

A chance de mudar de vida veio em 2016, durante a disputa da Copa BH. Fernando chamou a atenção de cerca de dez equipes durante a competição. O coordenador da base do Palmeiras, João Paulo Sampaio, precisou correr para apenas cinco dias após o torneio, vencer a concorrência e conseguir o registro da promessa como atleta do clube. 

Fernando tem como ídolo Gabriel Jesus e inclusive copiou do atacante da seleção brasileira uma tatuagem. O desenho é de um menino que segura uma bola de futebol nos braços enquanto observa uma favela. Neymar também tem a mesma imagem retratada no corpo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.