Ex-dirigente do Corinthians presta depoimento à Polícia Federal

Rubão diz que jogadores não recebiam dinheiro vindo do exterior, e diz que era contra a parceria com a MSI

Martín Fernandes, Estadão

16 de outubro de 2007 | 21h45

O ex-vice-presidente de futebol do Corinthians, Rubens Gomes, o Rubão, passou a tarde de ontem na Polícia Federal, num depoimento de cinco horas de duração. A PF investiga o pagamento de atletas em contas bancárias no exterior, o que caracteriza evasão de divisas.   Ao deixar o prédio da PF, ontem à noite, Rubão disse que ficou pouco tempo como vice de futebol e que por isso pouco tinha a esclarecer. "Quando cheguei, havia apenas dois jogadores da MSI: o Gustavo Nery, que estava voltando, e o Roger, que depois foi emprestado ao Flamengo. E posso afirmar, sinceramente, que eles não recebiam dinheiro no exterior", declarou. "Eu sempre fui contra essa parceria, não poderia voltar atrás."   Rubão também confirmou o que o Ministério Público Federal já havia anunciado: os investidores por trás da MSI eram mesmo o russo Boris Berezovski, o georgiano Badri Patarkatsishvili e o israelense Pini Zahavi. "Disseram que eles não eram os investidores, mas eram sim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.