Ex-dirigente nega ameaça de morte

Roberto de Almeida, negou veementemente hoje, por meio de uma nota à imprensa, que tenha ameaçado de morte o ex-técnico do clube Wálter Gama e o preparador físico Alfredo Monteso. Na segunda-feira, ambos justificaram o afastamento da equipe como resultado das ameaças que recebiam do cartola. Em seu comunicado, Almeida diz que tudo não passou de um problema que começou no domingo, quando seu filho Aender Jesus de Almeida, que trabalha como repórter de campo da Rádio Clube AM de São Carlos, teria sido ameaçado por Monteso durante a partida entre o Sãocarlense e o Comercial, em Ribeirão Preto. "Como pai, ouvindo as ameaças ao meu filho, fiquei preocupado e inconformado", afirma ele no texto. "Nada temos contra o Grêmio Esportivo Sãocarlense, clube em que eu atuei durante 25 anos. E sim é assunto direto, que envolve uma relação afetiva entre pai e filho", prossegue a nota de Almeida. As razões da demissão de Gama e Monteso não são citadas no documento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.