AFP
AFP

Ex-dirigente se livra de prisão após ajudar em investigação contra a Fifa

Informações de Rafael Salguero auxiliaram a Justiça na prisão de sete cartolas em maio de 2015

Estadão Conteúdo

07 Dezembro 2018 | 10h26

Ex-membro do Comitê Executivo da Fifa, o guatemalteco Rafael Salguero escapou da prisão em julgamento realizado por uma corte de Nova York, na noite desta quinta-feira, nos Estados Unidos. Ele foi condenado pelo tempo exato já cumprido em prisão domiciliar, por isso vai ganhar liberdade.

O ex-dirigente de 73 anos passou os últimos três anos em prisão domiciliar num lugar escondido por medo de ameaças e retaliações por parte das pessoas que ajudou a denunciar no escândalo de corrupção da Fifa. Ele colaborou com os investigadores norte-americanos nos últimos anos, na esteira da prisão de sete cartolas em maio de 2015, na Suíça.

Salguero foi dirigente da Concacaf e membro do Comitê Executivo da Fifa - órgão substituído pelo Conselho da Fifa recentemente em razão das seguidas denúncias de corrupção envolvendo os seus integrantes - no ano de 2010. Neste período, ele diz que foi procurado por uma pessoa não identificada interessada em comprar seu voto na votação que definiria a sede da Copa do Mundo deste ano.

Durante as investigações que envolveram cartolas da Fifa, o guatemalteco se declarou culpado de fraude, chantagem e lavagem de dinheiro. Ele admitiu ter recebido mais de US$ 100 mil (R$ 388 mil) em propinas. E passou a colaborar com as investigações para tentar reduzir sua pena, o que acabou acontecendo no julgamento em Nova York.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.