Reuters
Reuters

Ex-goleiro Iker Casillas vira voluntário em combate a incêndios florestais na Espanha

Campeão pela seleção da Espanha e Real Madrid se junta a centenas de pessoas que atuam no combate às chamas nos municípios de Navalacruz, onde tem casa, e Cepeda de la Mora

Redação, Estadão Conteúdo

18 de agosto de 2021 | 10h50

O ex-goleiro Iker Casillas, da seleção da Espanha e do Real Madrid, se juntou aos voluntários que trabalham para tentar extinguir focos de incêndio que atingem os municípios de Navalacruz, onde tem casa, e Cepeda de la Mora, na província de Ávila, na Espanha. Fotos e vídeos em que o campeão da Copa do Mundo em 2010 aparece como uma das centenas de pessoas que atuam no combate às chamas viralizaram nas redes sociais nos últimos dias.

Além de ser a localidade onde Casillas mantém uma residência, Navalacruz é a região onde nasceu a família do ex-jogador, que se aposentou em meados do ano passado, após defender o Porto, de Portugal. 

"Com dureza diante das chamas! Sem medo de ajudar e colaborar com as pessoas! Enormes aqueles que mais sabiam e que guiaram aqueles de nós que não sabiam pegar na enxada! É por estas coisas que nos orgulhamos de nos conhecerem! Apesar de humilde, digo-vos que teríamos preferido estar em segundo plano! E que isso nunca tivesse acontecido", escreveu o ex-atleta nas redes. 

De acordo com o órgão que faz monitoramento para a União Europeia, os incêndios na região já consumiram 22.723 hectares, tendo nível 2 de perigo, em uma escala de 0 a 3. Não há risco para a população, de acordo com a mesma fonte.

Casillas é uma das principais lendas da história recente do Real Madrid. Conhecido pela torcida como "São Iker", o arqueiro e ex-capitão do time merengue conquistou títulos importes. Foi três vezes campeão da Liga dos Campeões, cinco do Campeonato Espanhol e duas da Copa do Rei. Pela seleção espanhola, também ergueu a taça da Eurocopa em 2008 e 2012.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.