Jorge Saenz/AP - 02/08/2010
Jorge Saenz/AP - 02/08/2010

Ex-jogador Cabañas reconhece agressor

Baleado em 2010, atacante paraguaio receberá homenagem neste quarta, na capital mexicana

Carlos Calvo, Reuters

08 de agosto de 2011 | 18h06

CIDADE DO MÉXICO - O ex-jogador paraguaio Salvador Cabañas, que em janeiro de 2010 teve a carreira interrompida ao levar um tiro na cabeça, reconheceu nesta segunda-feira o responsável pela agressão, disseram autoridades mexicanas.

O ex-atacante da seleção do Paraguai e do clube mexicano América foi agredido por José Jorge Balderas, o "JJ", na madrugada de 25 de janeiro do ano passado após uma discussão sobre futebol no banheiro de um bar da Cidade do México. "Foram mostradas fotografias a ele e assim o reconheceu. Disse que começaram a discutir, que o 'JJ' começou a insultar-lhe e depois apontou uma pistola, e que assim foi agredido", disse a jornalistas Miguel Mancera, promotor da Cidade do México.

Cabañas está na capital mexicana para participar na quarta-feira de uma partida em sua homenagem entre a seleção paraguaia e o América. "(Cabañas) não lembra os detalhes, só lembra a parte da agressão, não lembra se tiveram alguma relação ou algum contato prévio, mas a parte importante é que está reiterando que ele o atacou", completou Mancera.

Autoridades mexicanas prenderam em janeiro passado "JJ", homem próximo ao traficante Edgar "La Barbie" Valdez, que após ter sido capturado em agosto de 2010 admitiu ter ajudado "JJ" a fugir depois do ataque a Cabañas.

O ex-jogador foi operado, mas a bala continua alojada em sua cabeça. Após ficar mais de um mês hospitalizado na capital mexicana, ele foi transferido para a Argentina para um tratamento de reabilitação e atualmente está em seu país onde treina com o clube Libertad. 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCabañasParaguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.