Divulgação/Sky Sports
Divulgação/Sky Sports

Ex-jogador do Arsenal revela que perdeu R$ 50 milhões em apostas: 'Me ajude, Deus'

Paul Merson teve passagem pelo clube londrino entre 1985 e 1997 e contou em um programa de TV que, durante a pandemia, destinou todo o dinheiro do depósito de uma casa em um cassino online

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2021 | 15h20

Paul Merson, ex-jogador de futebol inglês, revelou ter sido mais uma vítima do mundo das apostas. Em entrevista ao programa de TV ‘Good Morning Britain’, o atleta que já admitiu problemas com drogas, alcoolismo e depressão confessou que, durante a pandemia, teve dificuldades de largar jogos de apostas em seu celular e perdeu 7 milhões de libras (R$ 50 milhões). 

O dinheiro iria para o depósito de uma casa que compraria. No programa, Merson, conhecido por sua passagem pelo Arsenal entre 1985 e 1997, expôs uma carta que escreveu pedindo ajuda a Deus no combate a esse vício. “Foi assustador durante o lockdown”, disse. O ex-atleta da seleção da Inglaterra afirmou que seu cérebro o convencia de que ele tinha dinheiro suficiente para o depósito da casa, para se livrar do aluguel.

“Eu ficava assistindo ao noticiário o tempo todo. Como viciado, eu preciso ficar assistindo coisas. É difícil para mim parar de assistir. As notícias me consumiam. O vício fala com você e ficava me dizendo ‘nós não vamos sair dessa, estamos em lockdown para sempre, já era’”, disse.

Desesperado para conseguir a casa, Merson se jogou nas apostas, mas como muitos que ingressam nessa realidade, perdeu tudo. “Foi triste. Mas foi do meu coração. Eu cheguei nesse ponto.” Com passagens por outros clubes ingleses, como Middlesbrough e Aston Villa, o ex-jogador lamentou que o cassino online em seu celular tenha o prejudicado tanto. Para tentar se afastar do problema, ele contou que instalou um aplicativo que exclui tudo no celular que estiver relacionado a jogos.

Nas redes sociais, Merson compartilhou a carta que escreveu em agosto de 2020 na luta contra os problemas de saúde. “Eu preciso parar de jogar. Eu amo a minha esposa e os meus filhos e estou muito feliz com eles. Quando eu estava em Orlando com a minha esposa e os meus dois meninos foi o mais feliz que estive em anos, porque eu não estava apostando. Eu me odeio quando aposto, odeio. Por favor me ajude, Deus. Eu preciso pagar todo mundo e conseguir uma casa para a minha esposa e os meus filhos. Por favor, Deus, me ajude”, suplicou. 

Após parar de jogar em 2012, o integrante da seleção inglesa na Copa de 1998 voltou à ativa em 2017 por um time galês de Cardiff, mas fez apenas uma partida. Encerrou a carreira de vez no ano passado, pelo Hanworth Villa, clube que joga na Liga Combinada de Municípios na Inglaterra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.