Ex-jogadores criticam personalismo

Time covarde, jogadores sem personalidade e falta de jogadas. O futebol brasileiro está tão mal que nem os ex-jogadores encontram saída ou justificativa para o baixo nível apresentado pela seleção, que decepcionou mais uma vez, ao perder para Honduras por 2 a 0. Mas isentam o técnico Luiz Felipe Scolari de culpa, apesar de criticar seu personalismo. "Não sei se o Felipão errou. A qualidade do time é que está baixa", afirmou Casagrande. "Mas o técnico da seleção tem de abrir mão de algumas convicções, deixar de achar que é o dono do mundo. O Jardel jogou bem sob seu comando no Grêmio porque o time atuava para ele. Na seleção, cruzaram oitocentas bolas na área e ele não cabeceou nenhuma", disse. "Está tudo nas costas dele. O problema é macro, crônico e não apenas de detalhes", afirmou Sócrates. "Temos de mudar a estrutura e planejar melhor o futebol, a começar pelos dirigentes," reclamou. E se o Felipão levasse a base de um time, resolveria? As respostas se dividem. Para Casagrande, essa não seria a saída. "O Leão (ex-técnico da seleção) levou a base do Corinthians quando estava no auge e apenas empatou por 1 a 1 com o Peru", comentou. E foi além. "Qual a base do Flamengo? O Petkovic não pode jogar e o Edílson nunca foi bem na seleção." Já Sócrates usa da ironia. "Não tem justificativa perder para Honduras, qualquer time de várzea poderia vencê-los."Mas quando o assunto é eliminatórias, a história muda. "É preciso fazer um projeto de guerrilha, pois este time não vence o Paraguai", ressalta Sócrates. "A volta de Rivaldo, Roberto Carlos, entre outros, pelo menos aumenta a nossa moral", observa Casagrande.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.