Ex-jogadores defendem Roger

Quando Roger errou a cobrança de pênalti, quarta-feira, na partida contra o Figueirense - Carlos Alberto e Sebá também erraram - não faltou gente que levantasse a hipótese de vingança do meia corintiano. Sacado do time titular no dia do jogo, teria Roger errado de propósito, em represália ao técnico Daniel Passarella? A Agência Estado consultou ex-profissionais do futebol e a opinião unânime é de que um jogador nunca cometeria um erro para atingir o comandante. "Estou revoltado em ouvir essa história. Levantar hipóteses desse tipo é leviandade", disse Neto, até hoje um dos ídolos da torcida corintiana. O ex-jogador saiu em defesa de Roger. "É um absurdo achar que um profissional poderia fazer isso para prejudicar o técnico. Muito pelo contrário, ele estava no banco, nem sabia que ia jogar, aposto que nunca iria pensar em fazer uma coisa dessas. E ainda acho que ele foi muito homem para ir lá e bater o pênalti", concluiu. O comentarista e ex-jogador Gérson, que defendeu grandes times de São Paulo e Rio, lembrou que Roger é, antes de tudo, um profissional. "Não acredito que um profissional - e eu falo isso porque já fui um - poderia fazer alguma coisa do tipo", analisou. "Eu me recuso a acreditar nessas coisas de corpo mole, não só dele, mas de qualquer um". Gérson frisou que Roger é um bom jogador e que estava jogando sob muita pressão, o que pode ter contribuído para o erro na cobrança. Clodoaldo, ex-jogador do Santos, não assistiu ao jogo do Corinthians, mas acha que esse é um assunto bem delicado. Apesar de achar um pouco antiético comentar sobre um time que não está acompanhando, Clodoaldo acredita que Roger não desperdiçou a cobrança de pênalti propositalmente. "Um profissional não faria uma coisa dessas. Acho que foi uma fatalidade mesmo. Tanto que não foi só ele que errou".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.