Dylan Martinez/Reuters
Dylan Martinez/Reuters

Ex-jogadores são só elogios ao ano da seleção brasileira de Tite

Zenon, Ademir da Guia e Toninho Cerezo confiram no Brasil para 2018

O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2017 | 07h00

Credibilidade da equipe foi recuperada 

Zenon, ex-meia do Corinthians e da seleção

Com Tite, a seleção conquistou algo muito importante nesta temporada: recuperou a credibilidade que havia sido perdida na Copa de 2014. Além de jogar e vencer seus adversários na América do Sul, foi bem nos amistosos e vai chegar ao Mundial como um dos favoritos, ao lado de Alemanha, França e, talvez, Bélgica e Espanha. 

Neymar é o maior triunfo. Chama a responsabilidade, atua sem posição fixa e dá aos companheiros ótimas possibilidades de jogadas ofensivas. Confunde o sistema defensivo adversário, inicia todas as jogadas e é a maior arma de Tite para o Brasil ir longe na Copa.

Seleção teve ano excelente e está em bom caminho

Ademir da Guia, ex-meia do Palmeiras, que defendeu o Brasil na Copa de 1974

A seleção brasileira teve um ano excelente. Não vou falar que o time está pronto para a Copa. Pronto tem de estar na época do Mundial, mesmo porque os jogadores vão ter um tempo para treinar juntos. Mas o Tite tem um time definido, isso é importante.

Outro fator importante foi ter alcançado o objetivo, que era a classificação para a Copa, com antecedência e até com certa facilidade.

Os jogadores estão em bom ritmo de competição, disputando seus campeonatos, o que também contribui para o bom momento.

A seleção brasileira está em bom caminho e pode melhorar ainda mais até a Copa do Mundo.

 

Time é forte e tem um técnico determinado

Toninho Cerezo, ex-volante do São Paulo, que defendeu o Brasil nas Copas de 1978 e 1982

O Brasil teve um ano espetacular. Não assisti a todos os jogos, mas, dos que vi, observei uma seleção com jogadores velozes, que finalizam bem, são versáteis. O time é bem compactado, tem defesa forte e um treinador, Tite, que sabe o que quer, é determinado. Os jogadores são referências em seus clubes e, na seleção, estão correspondendo plenamente.

Nas Eliminatórias, a seleção brasileira se classificou em primeiro lugar, e isso já é uma boa condição para a Copa. Se a gente comparar com as outras seleções, então, vemos que a equipe é excelente, está em um caminho certíssimo para a Copa.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.