Jorge Cabrera/Reuters
Jorge Cabrera/Reuters

Ex-presidente da Concacaf é extraditado para os Estados Unidos

Envolvido em escândalo, Alfredo Hawit estava preso na Suíça

Estadão Conteúdo

13 de janeiro de 2016 | 18h45

Acusado de envolvimento no grande escândalo de corrupção da Fifa em 2015, o ex-presidente da Concacaf Alfredo Hawit foi extraditado da Suíça para os Estados Unidos nesta quarta-feira. As autoridades do país europeu informaram que o ex-dirigente foi entregue a policiais norte-americanos, que o escoltariam no voo para Nova York.

Hawit estava detido em Zurique, acusado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos de envolvimento no escândalo de corrupção da Fifa que já provocou a prisão de uma série de outros dirigentes de peso do futebol mundial, entre eles José Maria Marin, ex-presidente da CBF, que foi extraditado aos EUA depois de ficar meses preso na Suíça.

O hondurenho era vice-presidente da Fifa e presidente interino da Concacaf quando foi detido no dia 3 de dezembro do ano passado, em Zurique. Como resultado da investigação, o Comitê de Ética da Fifa suspendeu Hawit por 90 dias após a prisão, punição esta que segue em vigência.

Os dois antecessores do hondurenho na Concacaf, Jeffrey Webb e Jack Warner, também foram detidos pela Justiça depois da investigação norte-americana. Hawit é acusado de ter aceitado milhões de dólares em subornos relacionados à venda de direitos comerciais de torneios no futebol latino-americano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.