Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Arnd Wiegmann/Reuters
Arnd Wiegmann/Reuters

Ex-presidente da Conmebol tenta ser extraditado ao Uruguai

Eugenio Figueredo faz manobra para evitar a Justiça americana

Jamil Chade, correspondente em Genebra, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2015 | 11h36

O ex-presidente da Conmebol, Eugenio Figueredo, tenta evitar sua extradição aos Estados Unidos, concordando em ser entregue para a Justiça do Uruguai. O dirigente está preso em Zurique desde 27 de maio a pedido dos EUA. 

Mas, numa tentativa de impedir que Figueiredo fosse à Nova York, autoridades uruguaias pediram também aos suíços sua extradição, alegando que também o investigam por corrupção. Ele é suspeito de ter montado um esquema de propinas para a Copa América, enquanto era presidente da entidade regional. 

Segundo o Departamento de Justiça da Suíça, a extradição poderia ser concedida. Mas com a condição de que os EUA não solicitem prioridade, já que o primeiro pedido veio de Nova York, não do Uruguai. "As autoridades americanas podem de fato ceder a prioridade aos uruguaios", indicou um comunicado de imprensa da polícia em Berna.

No dia 17 de setembro, os suíços já haviam autorizado a extradição do uruguaio para Nova York. Mas Figueredo entrou com um recurso. Semanas depois, foram as autoridades de Montevidéu que pediram sua extradição. O uruguaio, durante o processo, chegou a entrar com um recurso pedindo para esperar pelo processo em prisão domiciliar. Os suíços rejeitaram seu pedido. 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaConmebolEugenio Figueredo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.