Ex-presidente do Bayern será liberado da prisão antes de cumprir a pena prevista

A Justiça alemã anunciou nesta segunda-feira que o ex-presidente do Bayern de Munique Uli Hoeness será liberado da prisão antes de cumprir a pena prevista. Os advogados do dirigente entraram com pedido de antecipação do fim da pena e tiveram sucesso. Por isso, ele será solto no próximo dia 29 de fevereiro.

Estadão Conteúdo

18 de janeiro de 2016 | 13h09

Hoeness cumpria uma pena de 42 meses de prisão por evasão fiscal desde meados de 2014. Ele foi condenado em março daquele ano pelo não pagamento de pelo menos 28,5 milhões de euros e foi preso no dia 2 de junho de 2014.

O advogado de Hoeness, Michael Nesselhauf, explicou em novembro do ano passado que pediria a liberdade do ex-dirigente por bom comportamento na prisão. A Justiça alemã não informou se foi este o motivo pelo qual aceitou a apelação de Nesselhauf, mas o fato é que ele será liberado antecipadamente.

Durante cerca de um ano, Hoeness se beneficiou de um programa do sistema carcerário alemão que permitia que ele trabalhasse no departamento de base do Bayern de Munique pelo dia, para depois voltar à prisão em Augsburg à noite. Ele inclusive estava liberado para passar os fins de semana em casa.

Apesar da liberação antecipada, Hoeness permanecerá em período probatório por três anos e pode ser detido novamente em caso de outra irregularidade. Ele renunciou ao cargo de presidente do Bayern depois de ter sido condenado, mas os dirigentes do clube não descartam seu retorno.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBayern de MuniqueUli Hoeness

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.