Phil Noble / Reuters
Phil Noble / Reuters

Ex-promessa do United relembra quando roubava chuteiras de Rooney e Ferdinand para comprar comida

Ravel Morrison se emociona ao ouvir mensagem de Alex Ferguson em participação no podcast do ex-zagueiro

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2021 | 09h00

Ravel Morrison era considerado uma das grandes promessas para o ataque do Manchester United em 2011, principalmente após vencer a Copa da Inglaterra sub-18. Bastante apreciado por Alex Ferguson, então treinador do time principal, Morrison acabou não explodindo na carreira e hoje está sem clube, após passagens ruins por times de diversos países. Em participação no podcast de Rio Ferdinand, o atacante relembrou de quando roubava chuteiras do ex-zagueiro e de Wayne Rooney para conseguir comer.

“Lembra quando eu fui expulso do vestiário por roubar suas chuteiras? Obviamente, eu recebia uma salário de estudante, era jovem. Dava para vender cada par de chuteiras por 250 libras (R$ 1.865). Você pegava dois pares, 500 libras (R$3.730), ia para casa e comprava comida chinesa ou alguma coisa assim para sua família. Vocês costumavam receber 30 pares de chuteiras. Eu não queria fazer nenhum mal, mas quando eu vi as suas entregas, ou as do Rooney, vocês recebiam 20-30 pares de chuteira por vez. Eu pensava que um par para colocar alguma comida na mesa não seria um grande problema”, contou Morrison. Ferdinand confirmou que lembrava.

Morrison saiu do United em 2012. Passou por West Ham, Queens Park Rangers, Cardiff City, Birmingham e times de fora da Inglaterra como Lazio, Atlas do México e Ostersund, da Suécia. Na temporada 2020-21, já esteve no Sheffield United, no Middlesbrough e no ADO Den Haag, da Holanda, e já deixou todos eles. O próprio atacante admite ter tomado muitas decisões ruins na carreira.

No podcast, Ferdinand buscou a opinião de Ferguson sobre Morrison. O ex-técnico relembrou a qualidade do jogador de sempre estar disponível para passe e de uma história, quando Morrison lhe entregou uma carta de agradecimento logo após estrear como profissional. "O garoto tinha um coração bom, ele apenas foi vencido pelo seu ambiente", comentou Ferguson.

"Quando fiz minha estreia, as palavras não podem escrever o sentimento, estrear pelo Manchester United. Ouvir isso me emociona, sabe o que eu quero dizer? Se eu pudesse voltar no tempo, eu mudaria 90% da minha vida", emocionou-se Morrison no fim do podcast.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.