Sevilla
Sevilla

Ex-Real e seleção espanhola, Lopetegui assume comando do Sevilla e assina por 3 temporadas

Equipe terminou a última temporada no sexto lugar no Campeonato Espanhol

Redação, Estadão Conteúdo

04 de junho de 2019 | 12h06

Ex-técnico do Real Madrid e da seleção espanhola, Julen Lopetegui foi anunciado nesta terça-feira como novo treinador do Sevilla. O clube confirmou que ele assinou um contrato de três temporadas com a equipe, na qual será oficialmente apresentado como comandante do time nesta quarta.

Lopetegui estava desempregado desde quando foi demitido pelo Real, em outubro do ano passado, em saída definida depois de uma humilhante goleada por 5 a 1 sofrida diante do rival Barcelona, no Camp Nou, pelo Campeonato Espanhol.

Foi o fim de um rápida passagem pelo clube madrilenho, no qual ele assumiu o posto de técnico após ter sido demitido da seleção espanhola a apenas dois dias do início da Copa do Mundo da Rússia, em julho. Naquela ocasião, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) tomou a decisão ao alegar que o treinador rompeu o seu contrato unilateralmente com a seleção e negociou com o Real Madrid sem avisar a entidade.

O ex-goleiro de 53 anos assumirá um Sevilla que terminou esta última temporada do futebol europeu em sexto lugar no Campeonato Espanhol, posto que assegurou ao time um lugar na próxima edição da Liga Europa, competição da qual o clube é o maior campeão, com cinco títulos conquistados.

Em sua breve passagem pelo comando do Real Madrid, Lopetegui acumulou seis vitórias, dois empates e seis derrotas. Antes disso, ele acumulou uma longa série invicta à frente da seleção espanhola, que ele assumiu após a eliminação sofrida diante da Itália na última Eurocopa, em junho de 2016. No time nacional, o treinador contabilizou 14 vitórias e seis empates em 20 partidas. Porém, acabou sendo demitido por causa da maneira pela qual negociou a sua ida para o Real.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.