Alexandre Schneider/Reuters
Alexandre Schneider/Reuters

Ex-técnico de hóquei sobre a grama, Holan promete um 'grande trabalho' no Santos

Argentino de 60 anos se diz confiante com a missão de dirigir o time na próxima temporada

Redação, Estadão Conteúdo

22 de fevereiro de 2021 | 17h28

O argentino Ariel Holan falou pela primeira vez como técnico do Santos, nesta segunda-feira, em entrevista exclusiva à TV do clube. Simpático, o profissional, de 60 anos, relembrou o início no esporte pelo hóquei, enumerou seus trabalhos por clubes da Argentina e Chile, revelou seus métodos de trabalho e garantiu aos torcedores santistas a realização de um grande trabalho na Vila Belmiro.

"Confiamos plenamente que vamos realizar um grande trabalho. Com uma mentalidade ofensiva e que os jogadores jovem se unam aos mais experientes, tornando a equipe mais forte. Esta, inclusive, é uma tradição do clube, que sempre revela jogadores. Sei que é uma responsabilidade muito grande e estou honrado pela oportunidade", disse o treinador, que iniciou a carreira esportiva como jogador e depois foi técnico de hóquei na grama.

"Meus pais não deixaram eu jogar futebol, pois queriam que estudasse", disse Holan. "Comecei minha carreira no futebol nos anos 2000, como auxiliar no Arsenal de Sarandi, Estudiantes e Independiente. Depois, passeis para o Argentinos Juniors e fui fazer parte da comissão técnica do River Plate, em 2011", lembrou.

Seu primeiro trabalho como técnico foi no Defensa y Justicia, antes de conquistar a Copa Sul-Americana, diante do Flamengo, no Maracanã, em 2017. "Fui ainda para o Chile, onde conquistei o tricampeonato nacional com a Universidad Católica, um feito muito festejado."

Admirador do trabalho tecnológico no futebol, admitiu gostar de usar as informações físicas e técnicas para armar a melhor tática e o melhor time. "Os registros médicos, nutricionais e de GPS são muito importantes no futebol atual", disse o treinador, que destacou a marca "Santos", que já teve a lenda Pelé e o craque Neymar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.