Ex-Vasco, Pimpão promete comemorar gol na decisão do Carioca pelo Botafogo

O Botafogo reúne todas as suas forças para o primeiro jogo da decisão do Estadual, diante do Vasco, domingo, no Maracanã. Um dos destaques da equipe na semifinal contra o Fluminense, Rodrigo Pimpão espera recuperar seu espaço e ajudar ainda mais o seu time nesta reta final do Estadual.

Estadão Conteúdo

25 de abril de 2015 | 18h25

"Eu consegui ajudar minha equipe contra o Fluminense fazendo com que a gente saísse com o resultado positivo correndo, driblando. É uma oportunidade que eu tenho que agarrar novamente contra o Vasco. Tive problemas com lesões no começo do ano e espero que isso não aconteça mais. Estou trabalhando forte para isso. Vou me concentrar ao máximo para ajudar a equipe", prometeu o atacante.

Pimpão começou sua carreira no Paraná Clube, mas foi no Vasco da Gama que ganhou projeção nacional. O atacante reconhece a importância do agora rival na carreira, mas deixa qualquer outra lembrança no passado. Feliz no Botafogo, Pimpão prometeu empenho total na equipe e confirmou que, caso marque, comemorará sem problema. "Já encarei o Vasco duas vezes após a minha passagem por lá. Uma pelo Paraná e a outra pelo América-RN. Nas duas eu saí vitorioso e se eu fizer gol vou comemorar sem problemas. Hoje eu defendo a instituição Botafogo. O Vasco me projetou para o futebol junto com o Paraná Clube, mas agora eu visto a camisa do Botafogo", declarou Rodrigo Pimpão.

Para a final diante do Vasco, o Botafogo carrega uma escrita importante. O time jamais perdeu uma final de campeonato para o rival, algo relevante, mas que não influencia em nada na cabeça do atleta na hora do jogo. "Nós temos que viver o nosso momento, o agora. Sabemos que o começo do ano foi puxado, mas fomos subindo degrau a degrau, encarando cada jogo como uma decisão. É um dado interessante, mas temos que pensar no que o Vasco e o Botafogo passam agora", refletiu o jogador.

O atacante aproveita a fase para exaltar o trabalho de todos no clube e credita ao treinador René Simões grande parte dessa nova postura da equipe de imensa tradição. "Digamos que estávamos como uma equipe desacreditada, mas quem chegou veio querendo e batalhando desde o começo do ano. Somos gratos ao professor (René) por tudo que tem feito conosco. Formamos uma equipe batalhadora", elogiou o atleta.

Com o Vasco pela frente, Pimpão sabe que não vai ser fácil trazer a taça para General Severiano. Para que isso aconteça, também é importante sentar na cadeira e estudar o adversário para explorar os pontos fracos e atentar para os fortes do rival. "O Vasco é forte nas bolas paradas e temos que ter muita atenção quanto a isso. É se cuidar em todos os tipos de jogadas deles para que não ocorra erros como o que tivemos na semana passada", alertou Rodrigo.

Sem Jobson, a expectativa é que Bill tenha condições de jogo. Ainda se recuperando de uma torção no tornozelo esquerdo, o atacante vem evoluindo na recuperação, mas ainda é dúvida. Pimpão falou sobre uma possível dupla com Bill, mesmo com o companheiro jogando no sacrifício. "É uma situação que depende de cada jogador. Eu não entraria em campo se não estivesse 100%. Lógico que vale o sacrifício, como ele mesmo fez na semifinal e ainda bateu um pênalti mancando. Vi que o Bill estava treinando bem e espero que ele esteja tranquilo para domingo", concluiu Pimpão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato CariocaBotafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.