Exame comprova doping de Davids

A contraprova do exame antidoping do holandês Edgar Davids divulgada nesta quarta-feira, deu resultado positivo. O volante da Juventus havia sido denunciado por uso de nandrolona - substância proibida no esporte - por causa do controle a que se submeteu após a partida contra a Udinese, em 4 de março, pelo Campeonato Italiano. O jogador e o clube de Turim recorreram, pediram a segunda análise, que não alterou a conclusão anterior. O caso será remetido para a Federação Italiana de Futebol e para a Liga (que reúne os clubes profissionais) para decidir que tipo de punição será aplicada.A rotina de Davids começou a alterar-se em abril, quando o Comitê Olímpico Italiano divulgou o resultado da primeira análise do material recolhido para exame. O laboratório do Coni - entidade responsável pelo esporte na Itália - constatou presença de esteróides anabolizantes, e tanto jogador como clube foram notificados. O holandês protestou, garantiu que jamais havia usado qualquer tipo de estimulante e exigiu novo exame.O pedido foi aceito e teve acompanhamento de advogados do atleta, de representantes da Justiça Comum e do promotor público Raffaello Guariniello, de Turim, que há mais de dois anos comanda investigações pesadas para apurar denúncias de uso de doping na Itália. O resultado frustrou Davids e a direção da Juventus, ao revalidar o que havia sido descoberto anteriormente. A legislação italiana prevê punição, em casos como esse, de um ano e quatro meses.Só na atual temporada, já foram denunciados outros sete jogadores na Itália: o português Fernando Couto, da Lazio; Bucchi e Monaco, do Perugia; Da Rold, do Pescara; o goleiro belga Gillet, do Bari; além de Sachetti e Caccia, do Piacenza. No caso de Davids, a polêmica pode chegar à Holanda, já que dias atrás seu companheiro de seleção - Frank de Boer - também foi flagrado no antidoping por nandrolona.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.