Erqin Oliveira|Frame
Erqin Oliveira|Frame

Exceção, Mineirão tem crescimento de 35%

Estádio mineiro arrecadou R$ 18 milhões em 43 partidas em 2016

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2017 | 06h00

O Mineirão é um dos poucos exemplos de sucesso entre as arenas da Copa. Em 2016, o estádio alcançou o crescimento de 35% de exploração comercial com jogos de futebol e grandes shows. Foram 43 partidas com arrecadação de R$ 18 milhões apenas em bilheteria. 

Só o clássico das Américas, partida das Eliminatórias entre Brasil e Argentina, rendeu R$ 13 milhões. Mais de 53 mil pessoas acompanharam o massacre da seleção brasileira sobre a argentina, por 3 a 0. Foi o maior público da arena em 2016. Entre os grandes shows, a arena recebeu a apresentação do grupo britânico Iron Maiden e da banda californiana Maroon 5. A arena também assinou contrato com a cervejaria Brahma, que se tornou a marca oficial do estádio. 

Em alguns casos, shows e jogos de futebol acontecem simultaneamente. No camarote do estádio, os torcedores podem acompanhar espetáculos musicais nos intervalos e no final das partidas. A partida inicial do Campeonato Mineiro, entre Vila Nova e Cruzeiro, também terá atrações musicais. 

Com um planejamento comercial para 25 anos, o estádio recebe desde aniversários de crianças até shows para 50 mil pessoas. O organizador do evento tem o custo médio de R$ 10 por pessoa. No futebol, não há aluguel do estádio, mas apenas cobrança dos custos operacionais. No caso do Cruzeiro e no do América MG, por exemplo, há um contrato de fidelidade. Para o Atlético, a negociação é feita jogo a jogo.

O Mineirão firmou uma parceria inédita com o Beira-Rio. Os clientes de camarotes e cadeiras cativas do Mineirão e das áreas vips do Beira-Rio tiveram assentos garantidos nos dois estádios na semifinal da Copa do Brasil. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.