Excesso de atletas conturba São Paulo

O São Paulo gaba-se por estar montando um time forte para o Campeonato Brasileiro - trouxe Leandro, Luís Fabiano, Jorginho Paulista, Ameli e está acertando com Régis e Ricardinho -, mas em seu elenco, composto por mais de 35 atletas, muitos não serão aproveitados por Oswaldo de Oliveira e alguns ameaçam até ir à Justiça requerer o passe. E na semana em que o time vai estrear no Nacional - sábado, contra o Paysandu - o ambiente pode ficar conturbado com a dispensa de alguns atletas. No time que está se preparando para o Brasileiro, cinco laterais-esquerdos brigam para permanecer no grupo. Para a reserva de Jorginho. Três devem ser negociados ou dispensados. Hilton vai para o CSA. Ainda há Márcio, contratado no início do semestre junto ao Juventus, Lino e Gustavo Nery, que depois de início de ano fraco foi encostado e agora ´quebra galho´ atuando de zagueiro, enquanto Régis não chega, e Alemão, revelado no clube e com contrato até 2005. Gustavo Nery tem, no supervisor Marco Aurélio Cunha, um aliado na briga para continuar no clube. O dirigente é seu fã confesso e garante, se consultado, exigir a sua permanência. Alemão, que apenas treina, deve entrar na Justiça do Trabalho para pedir seu passe. O jogador atuou pela Portuguesa no primeiro semestre, mas foi dispensado em março, ficou quase quatro meses sem receber salários. Move ação contra a equipe do Canindé. O São Paulo não aceita pagar a dívida, que, segundo ele seria o correto baseado na nova Lei do Futebol. "Estou treinando, mas eles não me dizem se vão, ou não, contar comigo", bronqueia Alemão. "Quero trabalhar, então, pedirei na Justiça, meu passe." O zagueiro Rogério Pinheiro, fora dos planos do clube, conseguiu ganhar o passe na Justiça e procura clube. O atacante Reinaldo, outro desprezado da Lusa, e desempregado, seguirá o mesmo caminho. E a lista de dispensas aumenta a cada dia. Além de Emerson, Souza, Douglas e Lúcio Flávio, que já foram embora, podem estar de malas prontas o zagueiro Reginaldo, que não agradou Oswaldo, o meia Adriano e os atacantes Sandro Hiroshi e Dill, que se recupera de cirurgia no joelho.

Agencia Estado,

03 Agosto 2002 | 16h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.