Excesso de expulsões preocupa Ricardo Gomes

O líder Atlético Mineiro é só parte do desafio do São Paulo no jogo desta quinta-feira, no Mineirão. O técnico Ricardo Gomes quer terminar a partida com os 11 jogadores em campo, situação que, segundo ele, facilitaria bastante para que a equipe são-paulina iniciasse uma reação no Campeonato Brasileiro.

MARCIUS AZEVEDO, Agencia Estado

14 de julho de 2009 | 22h58

Nos três jogos sob seu comando, o São Paulo só chegou completo aos 90 minutos em um deles: na vitória sobre o Náutico por 2 a 0, no Morumbi, quando Ricardo Gomes estreou. Depois disso, o zagueiro André Dias foi expulso na derrota para o Coritiba, o que se repetiu no último domingo, no empate com o Flamengo, quando o também zagueiro Renato Silva recebeu o vermelho.

"Com 11 já é difícil, há um desgaste maior quando se joga seguidamente com 10 jogadores", afirmou nesta terça-feira Ricardo Gomes, que já conversou com o elenco sobre sua preocupação. "Tenho de trabalhar o emocional também, temos de ter uma leitura melhor da partida. O jogador que já tem o amarelo precisa tomar mais cuidado."

Até agora, o São Paulo já teve três expulsões em 10 jogos no Brasileirão. No campeonato do ano passado, quando foi campeão após 38 rodadas, apenas quatro jogadores são-paulinos receberam o cartão vermelho.

Para André Dias, o excesso de vontade para tirar o time da situação ruim é uma das explicações para as seguidas expulsões. "Ficamos afoitos e isso atrapalha muito", comentou o zagueiro, que pode desfalcar o time contra o Atlético - ele será julgado nesta quarta-feira pelo STJD pelo cartão vermelho contra o Coritiba.

Assim, em seu quarto jogo no São Paulo, Ricardo Gomes não poderá repetir a equipe. "Tenho pouco tempo, mas há uma responsabilidade por resultados e não posso ficar só em busca do time ideal. Estou conhecendo melhor o meio de campo. A definição deste setor ajudará o time todo. O meio quando vai bem, vê o ataque evoluir. Não pode ficar muito tempo sem a bola, e quando tiver a posse, tem de encostar na frente", disse o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.