Rodrigo Gazzanel|Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel|Ag. Corinthians

Exceto pelo Palmeiras, dinheiro está curto para os clubes paulistas

São Paulo, Santos e Corinthians vão às compras para reforçar time em 2017

O Estado de S. Paulo

24 de dezembro de 2016 | 17h00

Exceto pelo Palmeiras, cujo cofre será abastecido pelos R$ 80 milhões da parceira Crefisa, em contrato a ser renovado em janeiro, os demais clubes de São Paulo terão de se desdobrar para refazer e fortalecer elencos com dinheiro pequeno e contado.

Dos quatro grandes, o Corinthians é quem larga por último nessa corrida, afinal, somente na quinta-feira, sua diretoria confirmou Fábio Carille como substituto de Oswaldo de Oliveira, cujo trabalho foi reprovado à frente de um grupo que deixou a desejar no segundo semestre. No orçamento para 2017, míseros R$ 13 milhões. Até agora, apenas duas contratações foram feitas: Jô, que estava no Jiangsu Suning, da China, e Luidy, que fez seis gols pelo CRB na Série B deste ano. Pouco para um time que se propõe a recuperar seu prestígio e a fazer frente aos rivais.

Carille, no clube desde 2009, terá de se valer da base (ele estará de olho na Copinha) e da troca de jogadores. Corre riscos ainda de perder alguns jogadores do elenco, como Cássio, Marlone e Rodriguinho. "Sabemos da necessidade de reforços", admitiu o treinador.

O São Paulo terminou o ano dando alguma esperança para seu torcedor após a contratação do ídolo Rogério Ceni para comandar a equipe no lugar de Ricardo Gomes. A diretoria tem trabalho mais calada, mas já levou para o Morumbi três bons jogadores: o goleiro Sidão e os atacantes Wellington Nem e Neilton. Estão perto de se acertar com o meia Ricardo Goulart, ex-Cruzeiro e atualmente no futebol chinês. Todos os reforços tiveram o aval de Ceni.

Tanto Corinthians quanto São Paulo estarão em pré-temporada na Florida Cup, nos EUA, e atentos ao Campeonato Paulista - ambos não se classificaram para a Copa Libertadores. Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana serão as outras competições da temporada.

Palmeiras e Santos, primeiro e segundo no Brasileirão, respectivamente, miram a Libertadores. O campeão nacional também trocou de técnico, Cuca por Eduardo Baptista, e de presidente, Paulo Nobre por Maurício Galiotte. Há muita expectativa para saber quem será o substituto de Gabriel Jesus e se o elenco perderá alguns de seus principais atletas. Contratações pontuais foram feitas, como Keno, do Santa Cruz. O novo mandatário disse que ajustes no elenco serão feitos. Dinheiro não falta. O clube busca reforço de impacto.

Na Vila, os investimentos serão mais modestos, possivelmente de sul-americanos. Dorival Junior também precisa saber se não perderá dois importantes jogadores do time: Ricardo Oliveira e Lucas Lima. Sem eles, o Santos vai se enfraquecer na caminhada pela América. Até agora, os reforços são para compor elenco. Modesto Roma Jr não fará loucuras, garante.

CORINTHIANS

Atenção com quatro setores

O Corinthians projeta a contratação de mais quatro reforços. Um zagueiro, um volante, um meia e um atacante de área. Até o momento, o clube contratou os atacantes Jô e Luidy e negocia com Kazim, do Coritiba. O volante Rithely também está nos planos, mas o Sport pede um valor muito alto para liberar o jogador. 

PALMEIRAS

Borja na lista para ser o '9'

A prioridade é encontrar um substituto para Gabriel Jesus. O principal nome é Miguel Borja, do Nacional de Medellín. O novo treinador também quer mais opções para a armação. Nesse quesito, outro colombiano está na mira: Alejandro Guerra, parceiro de Borja. Para a marcação, Felipe Mello pode chegar da Inter de Milão. 

SÃO PAULO

Cícero pode voltar ao clube

O meia Cícero está perto de ser confirmado no clube. O jogador do Fluminense de 32 anos conta com a aprovação do técnico Rogério Ceni e viria para atuar como um segundo volante. Ele também é forte no jogo aéreo. O São Paulo também está atrás de um centroavante. O paraguaio Cristian Colmán está na mira da diretoria tricolor.

SANTOS

Prioridade é o setor ofensivo

Depois de contratar o zagueiro Cleber, a prioridade é o ataque, embora o presidente Modesto Roma tenha declarado que quer reforços para todos os setores. Dorival quer uma "sombra" para Ricardo Oliveira depois da queda de rendimento do reserva Rodrigão. O time já desistiu de Valdivia e Nico López, do Internacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.