Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Exigências do Atlético-PR adiam acordo de Weverton com Palmeiras

Clube pede compensação financeira ou jogadores em troca da liberação antecipada do goleiro para o time paulista

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

05 de dezembro de 2017 | 07h00

O goleiro Weverton tem tudo para ser o quarto reforço confirmado pelo Palmeiras para a próxima temporada. Só resta saber quando isso será concretizado. O clube quer o jogador já para janeiro, na reapresentação do elenco, porém precisa acertar como o Atlético-PR como conseguir a liberação do atleta, pois o contrato entre ele e a equipe só termina em maio.

+ Valentim adia definição e pode ficar no Palmeiras

+ Palmeiras e Cruzeiro dividem liderança em novo ranking

O time rubro-negro quer contrapartidas para encerrar o vínculo antes de maio e em troca, liberar Weverton para assinar com o Palmeiras. A diretoria do time paranaense pede ou um valor de cerca de R$ 3 milhões ou o empréstimo por um ano de pelo menos dois atletas alviverdes. Enquanto a pendência não for resolvida, Weverton não poderá ser anunciado.

O jogador sequer foi relacionado para a partida do último domingo, pelo Campeonato Brasileiro, quando as equipes se enfrentaram em Curitiba. Desde o começo deste mês de dezembro o goleiro pode assinar um vínculo prévio com outra equipe, já que o contrato com o Atlético-PR se encerra em maio. O Palmeiras aproveitou essa condição para selar a vinda de Weverton sem grandes dificuldades, mas agora depende desse acordo final para concretizar a transferência.

A diretoria palmeirense alimentava há alguns meses o desejo de trazer um outro goleiro. Apesar da confiança em Fernando Prass, que acaba de esticar o contrato, e também em Jailson, havia o entendimento da necessidade em contar com uma outra opção mais jovem no elenco. Prass vai fazer 40 anos em julho, Jailson completa 37 em 2018 e já Weverton, fará 31.

Se Weverton está bem próximo, o clube espera avançar no acerto com o lateral Rafinha. O jogador do Bayern de Munique pensa em retornar ao futebol brasileiro e depende de acordar com o clube alemão a possível rescisão para depois prosseguir com as conversas com o Palmeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.