Experiência não reduz a ansiedade, diz Roberto Carlos

O lateral-esquerdo Roberto Carlos admitiu nesta sexta-feira que está ansioso para entrar em campo na terça-feira, contra a Croácia, e dar início à participação em sua terceira Copa do Mundo. Segundo ele, a experiência em Mundiais anteriores não diminuiu o nervosismo."Não existe receita para conter essa ansiedade. A vontade de representar o País é muito grande. Aquele que não sente, mente", disse o lateral, que foi titular em 13 dos 14 jogos da seleção nas Copas de 1998 e 2002 - só não jogou contra a Costa Rica, na última partida da primeira fase, no último Mundial, porque estava pendurado, com um cartão amarelo, e foi poupado pelo técnico Luiz Felipe Scolari.Aos 33 anos, nove deles vividos no Real Madrid, um dos maiores e mais pressionados clubes do mundo, Roberto Carlos disse que essa sensação de ansiedade faz parte da profissão. "Você pode ter 50 anos de futebol, mas quando chegar ali no campo vai sentir o friozinho na barriga", contou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.