Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

Expulsão faz Felipe Melo perder prestígio e ter renovação ameaçada

Diretoria do Palmeiras planejava negociar novo vínculo com o volante, que receberá bronca por atitude no último jogo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

01 Setembro 2018 | 05h00

A expulsão precoce contra o Cerro Porteño, na quinta-feira, mudou a imagem de Felipe Melo no Palmeiras. A idolatria por parte da torcida diminuiu, assim como seu prestígio com os dirigentes, que após amenizarem confusões passadas do jogador, dessa vez querem ser mais enérgicos com ele. Felipe Melo recebeu cartão vermelho aos 3 minutos de bola rolando e quase atrapalhou a classificação do time na Libertadores.

Nos últimos meses, a diretoria havia começado a planejar a renovação do seu contrato, mas a expulsão de quinta esfriou a intenção. O vínculo vai até 2019. O Palmeiras paga, além do salário e de parcelas das luvas, R$ 20 mil para cada partida em que ele entrar em campo. 

A tendência é o jogador perder espaço. Thiago Santos tem recebido elogios de Scolari e terá mais oportunidades enquanto Felipe Melo continuar suspenso na Libertadores. Nesta sexta-feira, a Conmebol notificou o clube de que levará o jogador a julgamento na próxima semana.

Como no ano passado Felipe Melo foi aos tribunais da entidade por ter brigado com rivais do Peñarol, é reincidente na questão disciplinar e pode ter a pena aumentada. Felipão prometeu conversar com ele. “Esses assuntos são de vestiário. Mas é claro que vou tratar internamente”, comentou o técnico.

A diretoria do Palmeiras repetiu o discurso do treinador e disse que o tema será abordado no clube. Felipe Melo não quis se manifestar sobre a expulsão e, apesar de ser ativo nas redes sociais, não fez nenhuma publicação desde o jogo. O Estado apurou que o silêncio foi uma ordem do próprio Palmeiras.

No ano passado, Felipe Melo foi afastado pelo técnico Cuca e reintegrado após conciliação costurada pela diretoria. O clube também se esforçou em 2017 para reduzir pela metade a suspensão aplicada a ele na Libertadores pela briga no Uruguai, mas desta vez considera ser preciso conversar com o jogador, em vez de apenas defendê-lo, como fizeram publicamente seus companheiros após a classificação suada em casa.

Felipe disputou 36 jogos neste ano, e recebeu 18 amarelos e dois vermelhos. É o jogador com mais advertências no Brasileiro e será desfalque nos próximos compromissos pela Libertadores e Copa do Brasil.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.