F-3 decide campeonato em Interlagos

Uma overdose de Fórmula 3. É isso que o Autódromo de Interlagos terá neste fim de semana. Desta sexta-feira a domingo, acontecerão as quatro provas que definirão o campeão da temporada, já com os motores novos da Berta, empresa argentina. O líder Xandinho Negrão, da Equipe Medley Genéricos, está muito perto do título. Os treinos classificatórios são nesta sexta, às 8h. A entrada dos quatro dias é grátis.Com 19 anos e filho do piloto Xandy Negrão, campeão brasileiro de endurance de 2004, Xandinho despede-se do automobilismo brasileiro depois de dois anos na F-3. Em 2005, será companheiro de Nelsinho Piquet na Hitech-Piquet Sports na novata Fórmula GP2, sucessora da F-3000. Para conquistar o título, precisa chegar na frente do segundo colocado na classificação, Gustavo Foizer, e que termine no máximo em oitavo lugar. Xandinho tem 109 pontos contra 80 do rival.Parece tarefa fácil, mas a situação não é tão simples: os motores Berta, com 265 cavalos de potência contra os 225 dos japoneses Mugen que dominaram a Fórmula 3 nos últimos campeonatos, não foram suficientemente testados e ninguém garante que resistirão à maratona deste fim de semana. "Estamos ralando que nem loucos nestes últimos 15 dias para deixar tudo em ordem, mas não está fácil. O ideal é que essa montagem tivesse sido realizada há um mês, seguida por uma semana de testes coletivos. Paciência. Vamos tentar resolver tudo na primeira corrida para não correr riscos de quebra no sábado ou no domingo", avisa Alex Castilho, engenheiro de Xandinho.De acordo com o cronograma planejado pela empresa do projetista Oreste Berta, os motores Berta deveriam ter chegado no Brasil há mais de um mês. Mas a morte de um diretor da companhia e a falta de um chassis de Fórmula 3 provocaram o atraso na programação.Mais potentes em cerca de 40 cavalos, os motores Berta transformarão a série sul-americana na Fórmula 3 mais rápida do mundo. A diferença já pôde ser sentida no primeiro dia: Gustavo Foizer foi o mais veloz da sessão classificatória da 15ª etapa com 1min30s958, nove décimos pior que a pole do campeão Danilo Dirani no ano passado. "Estamos apenas no início, é verdade, mas na classificação do sábado os tempos cairão em dois segundos", aposta Xandinho. O piloto sabe que o fim de semana será puxado: "O Brasileiro é uma sucessão de corridas. Até agora o máximo que disputei em um único programa foram duas provas. O preparo físico fará diferença: no domingo, vai ter gente pedindo água. As chances de quebras aumentarão no sábado e no domingo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.