Frank Augstein| AP
Frank Augstein| AP

Federação inglesa acusa zagueiro de infringir regras sobre apostas

FA diz que Martin Demichelis 'cometeu 12 infrações em 6 dias'

Estadão Conteúdo

30 de março de 2016 | 10h38

A Associação de Futebol da Inglaterra (FA) anunciou nesta quarta-feira que acusou formalmente o zagueiro Martin Demichelis, do Manchester City, de infringir as regras da entidade ligadas a apostas. De acordo com comunicado divulgado pela FA, o argentino teria cometido as infrações no início deste ano.

A entidade inglesa informou que Demichelis está sendo acusado de "cometer 12 infrações da regra E8 da FA relacionada a apostas em partidas de futebol entre os dias 22 de janeiro e 28 de janeiro de 2016". Segundo este artigo do regulamento, os jogadores são proibidos de "apostar, direta ou indiretamente, ou instruir, permitir, causar ou autorizar qualquer pessoa a apostar" em resultados da modalidade ao redor do mundo.

O regulamento da FA também explica que os jogadores não podem causar ou autorizar a aposta em qualquer assunto ligado ao futebol, seja na transferência de jogadores, emprego de técnicos, escalações de equipes ou decisões disciplinares. A entidade, no entanto, não especificou em qual ou quais destes casos se enquadra a infração de Demichelis.

Na Inglaterra, há inclusive a suspeita de que Demichelis tenha apostado em partidas do próprio City. Durante o período citado pela FA, o time inglês empatou por 2 a 2 com o West Ham pelo Campeonato Inglês no dia 23 de janeiro e derrotou o Everton por 3 a 1 na Copa da Liga Inglesa, quatro dias depois. O zagueiro argentino atuou em todos os minutos das duas partidas.

Somente a partir de 2014 a FA decidiu punir os jogadores que estivessem ligados a qualquer tipo de aposta relacionada ao futebol. Até então, somente atletas, técnicos e dirigentes que fossem flagrados apostando em partidas de competições que envolvessem seus próprios clubes eram punidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.