FA pede desculpas por tragédia em Hillsborough

A Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês) pediu desculpas nesta quinta-feira para a cidade de Liverpool e as famílias dos 96 torcedores do clube que morreram na tragédia do Estádio Hillsborough em 1989, o pior desastre da história esportiva da Grã-Bretanha.

AE, Agência Estado

13 de setembro de 2012 | 12h33

Documentos secretos divulgados na quarta-feira por uma comissão independente apontaram que o estádio, a casa do Sheffield Wednesday, não tinha um certificado de segurança válido quando sediou a fatídica semifinal da Copa da Inglaterra entre Liverpool e Nottingham Forest.

O relatório disse que os perigos do estádio superlotado eram bem conhecidos e que o Sheffield Wednesday priorizou "custos" em vez da segurança. "Estamos profundamente arrependidos da tragédia que ocorreu em um local selecionado pela FA", disse David Bernstein, presidente da FA.

"Em nome da Associação de Futebol, eu ofereço um pedido de desculpas pleno e sem reservas e expresso sinceras condolências a todas as famílias daqueles que perderam suas vidas e a todos ligados à cidade de Liverpool e ao Liverpool Football Club", disse Bernstein, que não presidia a FA quando a tragédia ocorreu há 23 anos.

Um total de 94 torcedores morreram no dia - outros dois faleceram mais tarde - e quase 800 ficaram feridos. O relatório expôs a tentativa da polícia de culpar os torcedores, instruindo autoridades a mudar declarações e insinuando que muitos fãs estavam bêbados e tinham histórico de violência ou criminalidade.

Uma comissão nomeada pelo governo descobriu que alguns torcedores feridos tiveram negado tratamento médico que poderia ter salvo suas vidas. Membro da comissão, Bill Kirkup disse que 41 torcedores tinham "potencial para sobreviver".

Bernstein elogiou o empenho incansável mostrado pelas famílias das vítimas que se recusaram a aceitar os resultados do inquérito inicial sobre o incidente. "Isso nunca deveria ter acontecido. Ninguém deve perder a sua vida ao decidir assistir uma partida de futebol", afirmou.

"É uma questão lamentável e de tristeza extrema que tenha levado tanto tempo para esses documentos serem publicados e a verdade ser dita. Durante 23 anos, as famílias sofreram dor insuportável e temos profunda simpatia por ele. A FA e o futebol inglês mudou imensamente, e aprendeu muitas lições no nesses 23 anos", disse Bernstein.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFAHillsboroughDavid Bernstein

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.