Elbit Systems
Elbit Systems

FAB compra drone por R$ 18 milhões para usar na Copa do Mundo

Segurança da Copa vai ter o Hermes 900, produzido pela empresa israelense Elbit Systems

Roberto Godoy, O Estado de S. Paulo

29 de março de 2014 | 05h03

SÃO PAULO - A segurança da Copa vai ter, no ar, o novo drone da Força Aérea - o Hermes 900, produzido pela empresa israelense Elbit Systems. A aeronave, comprada por US$ 8 milhões (cerca de R$ 18 milhões), chega no fim de maio e será pesadamente utilizada na vigilância de áreas estratégicas durante os 30 dias que vão durar os jogos. O "veículo aéreo não tripulado", como é designado na aviação militar brasileira, vai atuar na FAB combinado com a frota atual de quatro RQ-450.

São modelos menores, operados pelo Esquadrão Hórus, da base de Santa Maria (RGS). O Hermes 900 é semelhante aos tipos utilizados pelos Estados Unidos em zonas de conflito. No Afeganistão, por exemplo. Apenas Israel dispõe de versões armadas, capazes de lançar ataques com mísseis leves, de alta precisão. A configuração da Aeronáutica leva carga eletrônica de 300 quilos.

Mede 8,3 metros de comprimento. A envergadura das asas é de 15 metros. Pode permanecer em voo por 36 horas, a 9 mil metros, cobrindo 250 km de área. O comando remoto é feito por um ou dois pilotos, apoiados por seis técnicos. A velocidade máxima é de 220 km/hora e o peso total bate em 1,18 tonelada. O sistema digital de bordo emprega 10 diferentes câmeras, sensores e designadores laser. O alcance e a definição da captação dos dados de inteligência são informações sigilosas.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014Copa do MundofutebolFAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.