Fabinho é apresentado e deve ser último reforço no Paulistão

Com a chegada de mais um volante ao Parque São Jorge, o clube anuncia fim do ciclo de contratações

Vítor Marques, Jornal da Tarde

28 de janeiro de 2008 | 19h59

O volante Fabinho, que foi apresentado nesta segunda-feira no Parque São Jorge, deve ser o último reforço do Corinthians para a disputa do Campeonato Paulista. Segundo o vice-presidente de futebol, Mário Gobbi Filho, o clube está próximo de encerrar seu ciclo de contratações, deixando para maio a negociação com um meia-esquerda, posição considerada carente pelo treinador Mano Menezes. "Era nosso plano trazer um meia. Mas com dinheiro é uma coisa, sem é outra", afirmou o dirigente, que garante que o Corinthians não está, no momento, negociando com nenhum jogador. "Para trazer um jogador tem de ter mercado disponível e situação financeira", disse. Gobbi descartou trazer um jogador caro como o do ex-palmeirense Alex, do Fenerbahçe, da Turquia. "Acho ele um craque, mas quanto custa?", rebate. Outro nome cogitado no Parque São Jorge é do ex-corintiano Renato, meia que está Al Nassr, da Arábia Saudita. Segundo ele, o cenário muda a partir de maio. "Receberemos um novo aporte financeiro e voltaremos a contratar. Estamos em fase de cogitação, depois de execução." Após o Paulista, disse Gobbi, jogadores do atual elenco serão analisados e as carências discutidas com a comissão técnica. "Tem jogador que o treinador ainda nem avaliou porque ainda não pôde jogar." Um deles é Fabinho, que treina desde a semana passada, viaja com o time para Ribeirão Preto, mas não sabe se poderá entrar em campo, pois ainda depende da liberação de documentos referentes à transferência junto ao Toulouse. "Estou bem fisicamente e me coloco à disposição do treinador", disse Fabinho, durante sua apresentação. Outros que dependem da burocracia para estrear são o atacante argentino Herrera e o zagueiro chileno Suárez - este nem sequer viajou para o duelo contra o Sertãozinho.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFabinhoapresentação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.