Fabio Capello minimiza boa atuação de Ronaldo pelo Milan

Depois de afastar Ronaldo do time no Real Madrid, o treinador Fabio Capello não dá o braço a torcer e minimizou a boa atuação do jogador brasileiro na sua estréia como titular no Milan, no último sábado, quando fez dois gols na vitória sobre o Siena por 4 a 3, pelo Campeonato Italiano.Contratado em 2002 junto à Internazionale, Ronaldo deixou o time da capital espanhola em janeiro após ser afastado e receber diversas criticas do comandante italiano. Antes mesmo de assumir o Real - quando ainda estava na Juventus, Capello declarou que não gostava de trabalhar com brasileiros e adiantou que iria dispensar algumas estrelas. "No momento, os desafios mais difíceis do futebol se encontram em algumas partidas do Campeonato Espanhol e do Campeonato Inglês. O Italiano é outro torneio", disse Capello após a sua equipe empatar sem gols com o Betis, em pleno o Estádio Santiago Bernabéu, pelo Nacional. O técnico, no entanto, tentou elogiar Ronaldo logo em seguida. "Estou contente por ele. Sempre disse que ele era um grande jogador e que recuperado faria gols."Somado a isso, Capello colou a culpa nos juízes pelos resultados negativos em seus domínios - no jogo anterior, havia perdido para o modesto Levante por 1 a 0. "Este ano temos pouca ajuda dos árbitros. Estou seguro que no Bernabéu os árbitros não ajudam", esbravejou. Ele também criticou a retranca do adversário. "Em casa nós sofremos. Quando um rival mantém postura defensiva e espera que nós o ataquemos, o Real passa mal."Ocupando a terceira colocação no Espanhol, o Real Madrid volta a campo na próxima terça-feira, quando receberá o Bayern de Munique, no jogo de ida das oitavas-de-final da Liga dos Campeões da Europa. O próximo compromisso pelo Nacional será diante do arqui-rival Atlético de Madrid, no dia 25, no Estádio Vicente Calderón.LeilãoEm alta com a torcida do Milan, a camisa utilizada por Ronaldo na sua estréia pelo clube italiano, no fim de semana passado diante do Livorno, está valorizada no leilão organizado pelo site oficial do time milanês. Até o momento, o lance mais alto pertence a um brasileiro, que ofereceu 8.065 euros (cerca de R$ 22 mil) para ficar com a peça autografada pelo craque.O dinheiro arrecado será destinado à Fundação Milan, entidade que faz doações a hospitais e instituições infantis por todo o mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.