Cruzeiro/Twitter
Cruzeiro/Twitter

Fábio cobra menos erros do Cruzeiro pós-Copa e critica calendário brasileiro

Goleiro questiona como vai estar a condição física dos jogadores no fim da temporada

Estadão Conteúdo

11 Junho 2018 | 17h30

Às vésperas do início da disputa da Copa do Mundo na Rússia, que pausará as principais competições do futebol brasileiro, o goleiro Fábio fez um balanço positivo do desempenho do Cruzeiro até esta metade da temporada, mas, ao mesmo tempo, cobrou menos erros da equipe no segundo semestre.

+ Mano volta a criticar arbitragem, mas admite atuação ruim do Cruzeiro

"A temporada dentro dessa primeira parte até a parada da Copa foi importante. Vivemos momentos difíceis, mas com um belo futebol conseguimos resultados necessários para nos dar confiança e tranquilidade para o restante da sequência", avaliou o goleiro, que, porém, pediu menos erros na sequência da temporada. "Temos que nos atentar a ter sempre empenho e foco porque a sequência depois da Copa é difícil, com jogos decisivos, e não haverá mais margens para erro", cobrou.

A pausa com a chegada do Mundial foi celebrada pelo atacante Raniel pelo fato de dar descanso ao elenco e, também, em virtude da possibilidade de melhorar a parte física diante de um calendário cheio de jogos. "Como a tabela é muito cheia, agora com jogos quarta e domingo, essa pausa vai ser boa para descansar, recuperar a parte física. Vai ser bom para todo o grupo", disse o jovem atacante.

Fábio foi mais crítico e reclamou do calendário brasileiro organizado pela CBF, que espreme vários jogos em um curto período de tempo e acaba facilitando o surgimento de lesões. "Muitos jogadores fora por lesão, outros tendo que ser poupados. Tem que rever o calendário. Se com seis meses já está difícil, imagina manter o alto nível até dezembro? Tudo tem que ser mexido para não tirar mais do atleta", criticou.

O último compromisso do Cruzeiro antes da parada para o Mundial da Rússia será nesta quarta-feira diante do Paraná, às 19h30, no estádio Durival Britto, em Curitiba. O time mineiro, oitavo colocado com 17 pontos, vem de dois tropeços contra Vasco e Chapecoense e tem tido dificuldade contra adversários que jogam fechados.

"O espaço é limitado e a articulação tem que ser mais bem feita. Temos que sobressair dentro dessas dificuldades que o adversário coloca. Os espaços reduzidos dificultam sempre, independente da equipe, mas temos que conseguir os três pontos cruciais para terminarmos bem antes da parada", afirmou Raniel.

 

 

Mais conteúdo sobre:
futebol Cruzeiro Esporte Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.