Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fábio Costa: 50 jogos sem festa

Fábio Costa completou 50 jogos com a camisa do Corinthians (na vitória por 1 a 0 sobre o Vitória, ontem, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro) sem motivos para comemorar. A morte do zagueiro Serginho, do São Caetano, ainda não saiu de sua cabeça. O goleiro corintiano acha que os jogadores deveriam se reunir e lutar por seus direitos. Quando esteve na Seleção Paulista, no mês passado, Fábio Costa liderou um movimento no sentido de provocar uma discussão na classe. "O Sérgio e outros jogadores assinaram. Quem sabe daí não sai alguma coisa que possa ajudar o jogador de futebol", assinalou. O goleiro do Corinthians ainda criticou quem faz o calendário brasileiro. "Esse pessoal nunca jogou bola e não sabe a pressão que enfrentamos, não só não campo, atuando, mas em tudo o que cerca os jogos. Viagens, concentrações, a nossa ausência da família. Jogador de futebol também é um ser humano, também tem o direito de ver o filho crescer." Fábio também reclamou das férias. "Veja você: vamos sair de férias no dia 19 de dezembro e 15 dias depois já estaremos de volta, treinando. Algum dia isso vai ter de mudar. Nem se tivermos de nos mobilizar, o que eu sei que nem sempre é fácil. De repente, posso ficar aqui, falando sozinho." Sobre o seu momento no clube do Parque São Jorge, Fábio Costa só tem do que se orgulhar. "Eu posso assegurar que estou muito feliz aqui no Corinthians", conclui o goleiro alvinegro.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2004 | 16h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.