Fábio Costa ainda evitou o pior na Vila

Fábio Costa foi uma exceção no Corinthians. Não fosse sua ótima atuação, a humilhação seria ainda maior, neste domingo, na Vila Belmiro. Mesmo sofrendo três gols, o goleiro corintiano esteve entre os melhores do clássico. Fez pelo menos quatro grandes defesas no primeiro tempo e repetiu a dose no segundo. E mais: num jogo tenso como o deste domingo, o goleiro conseguiu manter o equilíbrio emocional o tempo todo - especialmente no começo do segundo tempo, quando jogou com a torcida santista às costas e foi chamado de mercenário.Fábio Costa também foi um dos primeiros a pressentir o desastre. Antes do jogo, deixou claro que seria fundamental para o Corinthians não levar gol nos primeiros 15 ou 20 minutos. "Adversário que leva gol de cara na Vila se complica. O estádio vira um alçapão", alertou o goleiro, após o treino de sábado pela manhã. Deu tudo errado. O Santos fez o primeiro logo aos 7 minutos e só não marcou outros três até a metade do primeiro tempo porque Fábio Costa foi uma verdadeira barreira. A coisa ficou tão feia para o Corinthians que o goleiro corintiano resolveu esfriar o adversário já a partir dos 20 minutos, fazendo ´cera´ com duas bolas em campo na hora da cobrança de um tiro de meta.Algumas de suas defesas foram impressionantes pela elasticidade e pelo tempo de reação. Numa delas, aos 15 minutos, Fabinho bateu forte pouco antes da marca de pênalti. A torcida santista chegou a levantar nas arquibancadas, mas Fábio Costa defendeu com dois punhos.No segundo tempo a história se repetiu. Apesar dos dois gols-relâmpagos do Santos, o goleiro corintiano fez verdadeiros milagres. Aos 7, pegou um chute a queima roupa de Robinho, após uma linda tabela com Basílio. Aos 9, numa cabeçada de Basílio, voltou a fazer um milagre debaixo das traves. Em seguida, pegou com o pé direito, no reflexo, uma bomba de Léo.A pé - Mas quem imagina que Fábio Costa saiu de campo feliz, teve uma surpresa. O goleiro contava com uma vitória sobre seu ex-clube, principalmente porque o Corinthians, fortalecido pela contratação do argentino Tevez, vinha numa ascensão, com quatro vitórias consecutivas no Campeonato Paulista. A imagem da derrota estava clara no próprio rosto. Depois do exame antidoping, Fábio Costa não voltou no ônibus do Corinthians. Saiu da Vila Belmiro sozinho e calado. Foi embora a pé para casa.

Agencia Estado,

13 de fevereiro de 2005 | 19h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.