Fábio Costa: alguns jogadores se omitem

Enquanto a cúpula corintiana discutia o futuro do técnico Juninho Fonseca e do diretor-técnico, Roberto Rivellino, coube a Fábio Costa, há pouco mais de um mês no clube, apontar outra característica, que de nova não tem nada, mas que também explica o conturbado momento do time: a falta de personalidade e omissão de alguns jogadores. "A gente percebe que alguns (atletas) ficam intimidados, sentem muito a pressão e não conseguem produzir", comentou o goleiro. "É complicado resolver isso. Vai da personalidade de cada um." Visivelmente incomodado com o comportamento de alguns companheiros, Fábio Costa fez questão de apontar os problemas que, em sua opinião, afligem o grupo. O primeiro deles é a dimensão do Corinthians. "Pô, lá no Santos aparecem três ou quatro repórteres por treino. Aqui são quase 30!", comparou. "Para mim essa pressão extra é ótima, pois me motivo bastante nessas situações. Porém, alguns atletas já mostraram que sentem bastante." Então o que fazer para tentar mudar essa realidade? Para o goleiro corintiano o primeiro passo seria a dedicação maior de cada jogador. Para Fábio Costa, se cada um treinar 10% a mais daquilo que é obrigado a chance de o Corinthians evoluir tática e tecnicamente é enorme. Mas não é estranho pedir mais empenho para um grupo que trabalha junto há apenas um mês, ou seja, exatamente naquela fase em que todos estão motivados pelo início de trabalho? "Na verdade o que falta não é motivação, mas sim um pouco de organização", observou, deixando no ar uma cutucada na comissão técnica e na diretoria. Na seqüência, Fábio Costa sugere espécie de trabalho em conjunto entre ele, Rogério e Rincón - em sua opinião os três mais experientes da equipe - para tentar reverter o quadro. A idéia é mostrar para os atletas mais jovens, assustados com o dia a dia do Parque São Jorge, que não existe razão para se sentir intimidado. O recado teve alvos específicos, entre eles o lateral-esquerdo Julinho, o meia Adrianinho e os atacantes Gil e Régis. "Tem de ganhar o jogo. Não interessa se é o São Paulo, o Real Madrid ou algum clube do interior."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.