Fábio Costa: dura missão no Corinthians

Em menos de dois meses no Parque São Jorge, Fábio Costa já se vê obrigado a mudar os seus planos no Campeonato Paulista. A derrota para o São Paulo foi desastrosa em todos os sentidos. Além de complicar de vez o futuro da Comissão Técnica, as chances de classificação também ficaram comprometidas. Pior do que isso: a partir de agora, o maior desafio será evitar uma tragédia maior: o rebaixamento para Série A-2. Com apenas 5 pontos ganhos, essa ameaça já começou a se cristalizar.No caso de Fábio Costa essa situação é bem mais doída porque foi opção dele trocar um time ´pronto´ (o Santos) por outro em formação e cheio de incertezas. Neste domingo, no Morumbi, esse mau negócio ficou evidente.Enquanto o São Paulo empurrava ainda mais o Corinthians para a crise, na Vila Belmiro o Santos massacrava o União São João, por 8 a 3. Para completar a tortura, o placar do Morumbi e o serviço de alto-falantes do estádio repetiam a cada gol santista. Na Vila, Basílio, 1 a 0.... Na Vila, Santos, 2 a 0. Na Vila, Santos...Fábio Costa deve ter se perguntado: o que estou fazendo aqui? Se houve ou não arrependimento, vai ficar só para ele. Mas Fábio Costa já entrou no desespero de sua nova equipe. Deixou isso claro logo no primeiro tempo. Aos 40 minutos, quando o São Paulo já vencia por 1 a 0, ele não se conteve: saiu com a bola dominada até a intermediária corintiana e dali arriscou um lançamento para o ataque. A bola passou longe de Dinélson e o goleiro voltou cabisbaixo para sua área.Antes disso, Fábio Costa quase tinha perdido a cabeça aos 32 minutos, quando Grafite entrou duro numa dividida com Moreno e machucou o lateral corintiano. Quem acabou seguindo o goleiro foi o árbitro Cláudio Abade, a quem Fábio Costa se desculpou na volta do intervalo. Além da conversa com o árbitro, Fábio deu uma de técnico em pleno gramado do Morumbi: primeiro, conversou com os atacantes; depois, dirigiu-se aos jogadores de defesa e fez as suas recomendações.Se foi por seu mérito ou não, a verdade é que o Corinthians melhorou ao menos um pouco no segundo tempo. O próprio Fábio Costa, também mais calmo, fez defesas importantes, evitando pelo menos dois gols do São Paulo. "Pelo menos hoje o time mostrou atitude. Se tivesse jogado assim contra a Portuguesa, não teria perdido. Já é um recomeço".Quanto ao futuro da equipe na competição, Fábio preferiu a saída mais fácil, avisando que o Corinthians ainda não desistiu da classificação. "Só que agora a coisa ficou bem mais difícil. Por isso mesmo, vamos ter que ganhar todos os jogos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.