Fábio Costa: dúvidas sobre futuro do time

Tite sabe que a partir do treinamento de amanhã terá uma delicada missão: preparar os jogadores que o ajudaram a salvar o Corinthians no ano passado para deixar o time. Atletas como Jô, Betão, Wendell, Renato, Edson já perceberam que terão de dar lugar para as estrelas contratadas a peso de ouro pela MSI. Até mesmo o ídolo Gil está preocupado. "Sinceramente, eu fico na dúvida sobre o que acontecerá no Corinthians. As pessoas não podem se esquecer que esses atletas que irão sair levaram a equipe ao quinto lugar do Brasileiro quando falavam em rebaixamento. Eles não podem ser desprezados sem mais nem menos", alerta Fábio Costa. O sentimento que o personalista goleiro tem coragem de falar publicamente domina a concentração corintiana. Os atletas de 2004 percebem o assédio nas estrelas que foram contratadas. O primeiro a deixar os nervos dominarem o bom senso foi Gil. "Fiquei muito chateado com essa história de a diretoria dar a camisa dez ao Tevez. Nada contra ele, que não tem culpa. Eu acho que deveria ter sido avisado antes. Eu esperava que tivessem um pouquinho mais de cuidado comigo", afirmou Gil. A camisa dez na verdade parece ter sido uma desculpa para o até então tímido Gil se revoltar. Ele já percebeu que se a MSI contratar mesmo Vágner Love há muitas chances de perder a condição não só de ídolo como a de titular do time. Time não utiliza três atacantes. E os dirigentes sonham com Vágner Love e Tevez à frente do novo time. Pior ainda para Jô. O espaço para a revelação de 2004 ficaria mínimo. Pode passar de titular para segunda opção no banco de reservas, atrás justamente de Gil. "Eu sei que o jogador formado dentro do grupo costuma ter menos valor que os contratados. Mas o Tite já me avisou para não desanimar e continuar a lugar sempre", diz Jô. "Eu fui jogador e também já perdi a posição de titular. Sei o quanto é duro. Mas só me resta avisar que vou trabalhar de forma leal: o melhor irá jogar. Os atletas que a MSI contratou devem ter a chance de mostrar o seu futebol. A partir daí, é comigo. Por isso não quero ninguém desmotivado", avisa Tite. O técnico quer isolamento neste período que classifica como delicado. Por isso para a partida da próxima quarta-feira em São Luís do Maranhão, contra o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil foi a desculpa perfeita para mais cinco dias com os jogadores em regime de concentração. A equipe viajará na segunda-feira pela manhã e só voltará na quinta-feira à noite para São Paulo. Tite espera aproveitar esses dias para aprimorar a maneira que a equipe jogará com Tevez, Carlos Alberto, Sebastian Domingues e Marcelo Mattos. Além disso, há esperanças de que até Paulo César e Vágner Love sejam incluídos na delegação que estará no Maranhão. Todas as estrelas irão entrar em campo porque a prioridade corintiana no primeiro semestre é vencer a Copa do Brasil e se classificar para a Libertadores de 2006. "Não queremos roubar o lugar de ninguém. Vida de jogador de futebol é assim mesmo. Fomos contratados e vamos brigar para ser titular como os outros atletas do Corinthians. Não teremos privilégio", diz o zagueiro Sebastian Domingues, cotado para não ser só titular, mas capitão do novo time. A não convocação de Tevez hoje para a partida entre Argentina e Alemanha, marcada para o dia 9 de fevereiro, em Dusseldorf, foi vista com alívio por Tite. Ele quer o argentino entrosado com o restante do time o mais rápido possível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.