Fábio Costa é condenado em Minas Gerais

O goleiro Fábio Costa, do Corinthians, foi condenado nesta quarta-feira pela juíza Sônia Helena Tavares, do Juizado Especial de Belo Horizonte, a pagar 10 mil reais por injúria e difamação em uma ação criminal movida pela jornalista Ana Paula Damasceno, por causa de um incidente entre ambos após o jogo Atlético Mineiro 2 x 2 Corinthians, no dia 9 de maio do ano passado. O goleiro compareceu ao Juizado Especial Criminal - crimes de menor potencial -, em Belo Horizonte (MG), para a audiência. A juíza decidiu acatar a proposta da promotora Priscila de Almeida Romanelli e determinou a condenação. Fábio Costa tinha a opção da pena alternativa (prestação de serviços comunitários), mas preferiu o pagamento. De acordo com a sentença, a quantia deverá ser doada, em partes iguais, a quatro instituições de caridade da capital mineira.A ação criminal contra Fábio Costa tem origem numa confusão envolvendo o goleiro e a então repórter da TV Horizonte - uma emissora local transmitida a cabo -, após o jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Ana Paula acusou o goleiro de ofensas morais. O atleta foi obrigado a prestar depoimento na delegacia, e só embarcou para São Paulo no dia seguinte.Fábio Costa não compareceu à primeira audiência marcada. No dia 29 último, antes do jogo contra o Galo, pelo Brasileirão deste ano, ele recebeu no vestiário do Mineirão a intimação de um oficial de Justiça. "Essa era uma questão moral. Me sinto aliviada e com o dever cumprido", disse a jornalista após a audiência.Mas o episódio ainda promete mais dor de cabeça ao goleiro, pois Ana Paula ainda move contra ele uma ação civil, na qual cobra uma indenização de 100 mil reais por danos morais. Segundo o advogado da jornalista, Jorge Márcio de Souza Júnior, o processo ainda tramita na 27.ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de Minas (TJ-MG). Fábio Costa deverá ser intimado para uma nova audiência conciliadora em julho deste ano.O goleiro corintiano foi defendido na audiência pelo advogado Fausto José Pena. De acordo com os presentes, ele demonstrou descontração e tranqüilidade. Chegou até a contar que estava acostumado a ser multado, pois quando morava em Salvador (BA) era sempre flagrado em excesso de velocidade por um mesmo radar de trânsito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.