Fábio Costa é xingado e briga com torcedor

Fábio Costa acabou se envolvendo em mais uma confusão na madrugada de hoje, logo depois do jogo contra o Paysandu. Ele passou em seu dentista e, ao retornar para casa, por volta de 1 hora, foi reconhecido por um torcedor, Ângelo Alves Gimenez, que atirou uma lata de cerveja em direção ao seu carro. Fábio Costa não gostou e jogou o veículo na direção do torcedor, que tentou fugir em sua bicicleta. No 7º Distrito Policial de Santos, Ângelo Gimenez relatou que quando viu Fábio Costa passou a xingar o jogador e tentou fugir em sua bicicleta quando viu a reação do atleta. Como o goleiro estava tentando atropelá-lo, subiu na calçada mas não adiantou seu esforço: sua bicicleta foi atingida e ficou imprensada contra o muro. Segundo o Boletim de Ocorrência registrado, Fábio Costa desceu do carro e passou a agredi-lo. Nesse momento, dois torcedores santistas que passavam pelo local perguntaram a Fábio Costa o que estava acontecendo e, ao saberem que o goleiro haviam sido xingado, pegaram paus e passaram a perseguir Ângelo, que conseguiu fugir. No boletim de ocorrência, o agredido declarou que não sofreu lesão alguma por parte do goleiro. Fábio Costa se reapresentou pela manhã no CT Rei Pelé e informou por intermédio da assessoria de imprensa que não gostaria de falar sobre o assunto sem antes conversar com seu advogado para saber as medidas que irá tomar. Revelou que foi agredido primeiro, quando Ângelo Gimenez jogou uma lata de cerveja em sua direção. Segundo ele, estava com dor de dente antes do jogo, tomou um analgésico para poder atuar e marcou a consulta com o dentista para depois da partida. Reincidente - Fábio Costa está sempre se envolvendo em confusão e, pelo seu temperamento, não leva desaforo para casa. Quando perde o controle, é capaz de avançar sobre os jogadores que estavam no banco de reserva da Portuguesa Santista para chutá-los. Depois de uma partida contra o Corinthians, brigou com torcedores quando foi xingado ao entrar no ônibus. Esse tipo de comportamento acaba prejudicando sua carreira. Quando Parreira era técnico do Santos, viu uma briga entre ele e o roupeiro Ary Jarrão durante uma inter-temporada em Jarinu e ficou chocado com a atitude do jogador. Como o treinador logo depois deixou a Vila Belmiro, o episódio não teve maiores repercussões para ele na Vila Belmiro. Mas também nunca foi chamado por Parreira para a Seleção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.